Descoberta vinícola de 6.100 anos na Armênia

Arqueólogos acreditam que ela seja a vinícola mais antiga já encontrada

AFP |

Uma unidade completa de produção de vinho, de 6.100 anos de antiguidade, a mais antiga conhecida até então, foi descoberta numa caverna na Armênia, anunciou nesta terça-feira (11) uma equipe internacional de arqueólogos.

Antes disso, vestígios comparáveis a esses equipamentos de produção vitícola remontavam a 5.000 anos."Pela primeira vez, temos uma imagem arqueológica completa de um sistema de produção de 6.100 anos", felicitou-se Gregory Areshian, responsável pelas escavações e vice-diretor do Instituto de Arqueologia Cotsen da Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

Entre os objetos descobertos, estavam sementes de uva, restos de grãos prensados, ramos de videira atrofiados, uma prensa rudimentar, uma cuba em argila aparentemente usada para a fermentação, cacos de cerâmica impregnados de vinho, e uma taça e uma caneca para bebê-lo.

A descoberta foi realizada no mesmo sítio de cavernas onde foi encontrado, em junho de 2010, um mocassim de couro perfeitamente preservado datando de 5.500 anos , o que fez dele o mais velho calçado conhecido no mundo. As cavernas ficam numa espécie de canyon situado na província armênia de Vayotz Dzor, uma região na fronteira do Irã e da Turquia.

Análises químicas confirmaram a datação das instalações e de outros objetos, e a escavação foi financiada, em parte pela National Geographic Society, segundo o texto publicado na edição on-line do "Journal of Archaeological Science".

Testes de radiocarbono efetuados por pesquisadores da Universidade da Califórnia confirmaram a datação.

    Leia tudo sobre: arqueologiavinhoarmênia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG