Descoberta escola de gladiadores perto de Viena

Ruínas de 1700 anos foram descoberta com a ajuda de radares e conta com 11.000 m2 de área

AFP |

AP
Modelo virtual mostra como teria sido a escola de Carnuntum: estrutura grandiosa
O parque arqueológico do sítio romano de Carnuntum, perto de Viena saudou, nesta segunda-feira (5), a descoberta das ruínas de uma escola de gladiadores, há uma semana, em sua área.

"Por sua inteireza e dimensão, é um acontecimento arqueológico sensacional...", declarou o parque, em comunicado. As escavações indicam que o local - onde treinavam entre 40 e 60 gladiadores - datado de 1.700 anos, representa a parte maior das ruínas já descobertas em Carnuntum. Sua superfície total é de 11.000 m 2 , incluindo 2.800 m 2 de um pátio central.

Os melhores gladiadores poderiam tornar-se verdadeiros astros, contou o diretor do parque arqueológico, Franz Humer. Mas astros efêmeros: "sua expectativa de vida não ultrapassava, em geral, quatro ou cinco combates", destacou, durante entrevista à imprensa.

Os arqueólogos identificam os locais de alojamento dos gladiadores, de treinamentos, mas também um jardim.

O

sítio foi detectado graças a radares de penetração do solo. A técnica permitiu descobrir as bases da escola de gladiadores, "ludus" em latim, a até dois metros sob a terra.

Os trabalhos de escavação, muito caros, ainda não foram concluídos.

Carnuntum, situado à margem do Danúbio, era a capital da província romana de Panônia, na Europa Central. Era também, na antiguidade, uma etapa importante na rota do âmbar.

Hoje, o parque arqueológico, situado a 30 quilômetros de Viena, mostra, principalmente, ruínas de dois anfiteatros, termas, assim como um fragmento de arco do triunfo, o monumento mais impressionante do sítio.

    Leia tudo sobre: arqueologiaaústriaromagladiadores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG