Coréia do Norte aumenta propaganda para mostrar Kim saudável

Por Jon Herskovitz SEUL (Reuters) - A televisão estatal da Coréia do Norte transmitiu neste sábado fotos do líder Kim Jong-il enquanto o país aumenta sua campanha para mostrar que o governante está saudável, após ter sido cogitado em setembro que ele tinha sofrido um derrame.

Reuters |

Autoridades norte-americanas e sul-coreanas afirmaram que Kim, de 66 anos, pode ter ficado severamente doente em agosto, levantando dúvidas sobre a sucessão no governo da única dinastia comunista da Ásia e sobre quem estaria tomando as decisões sobre o programa nuclear do país.

Na semana passada, Kim realizou sua primeira aparição pública em quase 50 dias quando foi a uma partida de futebol, de acordo com informações da imprensa norte-coreana monitoradas por Seul.

A imprensa estatal do país informou, no começo deste sábado, que ele inspecionou uma unidade militar feminina. Imagens dessa visita foram transmitidas posteriormente na televisão pública. Foram primeiras fotos em dois meses de Kim participando de um evento recente.

A emissora de TV norte-coreana não informou quando a inspeção ocorreu, mas mostrou fotos do líder com óculos de sol, posando e conversando com as militares. A Coréia do Norte geralmente não divulga as datas das visitas de Kim.

Nas fotografias, o governante parece saudável. Sua tradicional barriga está pressionada contra sua vestimenta e ele aparentemente se move com facilidade.

Analistas dizem que parte da população da Coréia do Norte deve ter ficado ciente de que Kim poderia estar doente. Embora o Estado seja um dos mais isolados do mundo, há uma forte rede de informações de boca em boca e as notícias podem ter chegado por pessoas da vizinha China.

A saúde exata de Kim, conhecido internamente como "Querido Líder", é um dos segredos mais bem guardados do país. "Eles certamente têm um incentivo para mentir e dizer que ele está saudável caso ele ainda esteja de cama. Mas, por outro lado, também não há uma razão clara para não acreditarmos neles", afirmou Brian Myers, especialista no sistema de propaganda norte-coreano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG