Cientistas já dispõem de dados do Cryosat 2 sobre gelos polares

Dados do satélite permitem determinar com precisão as alterações na espessura do gelo nos oceanos

AFP |

ESA
Radar altimétrico do Cryosat 2 permite medir a espessura dos gelos flutuantes nos oceanos polares

Cientistas podem, a partir desta terça-feira (1), consultar os dados do satélite Cryosat 2, que permite determinar com precisão as variações da espessura dos gelos polares - indicador importante do aquecimento climático, anunciou a Agência Espacial Europeia (ESA).

"A partir desta data, a comunidade científica internacional terá acesso livre e fácil a todas as medições efetuadas".

O satélite Cryosat 2 foi lançado em abril de 2010, cinco anos depois da perda do satélite CryoSat original, cujo lançamento fracassou em 2005, causando para os cientistas "uma longa espera de informações sobre a espessura dos gelos", recordou a ESA.

Graças a seu radar altimétrico, Cryosat 2 pode medir com precisão de poucos centímetros a espessura dos gelos flutuantes nos oceanos polares e detectar as mudanças nas calotas polares que cobrem a Groenlândia e a Antártica, em particular o local onde se desprendem os icebergs.

    Leia tudo sobre: Ciênciaespaçoclimaaquecimento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG