Equipe de pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém conseguiu destruir células infectadas pelo vírus HIV

Na imagem, vírus HIV atacando células humanas
Getty Images
Na imagem, vírus HIV atacando células humanas
Cientistas israelenses anunciaram que conseguiram destruir em laboratório células infectadas pelo vírus da Aids sem afetar as células saudáveis, informa o jornal Haaretz.

Os cientistas, da Universidade Hebraica de Jerusalém, destacaram que criaram um tratamento a base de peptídios (polímeros de aminoácidos) que provocam a autodestruição das células infectadas pelo vírus HIV.

Até o momento, as terapias de combate à Aids tentam matar o vírus presente nas células, com o risco de um retorno da infecção se o tratamento for interrompido ou se o vírus se tornar imune.

O cientista Abraham Loyter explicou ao Haaretz que ao fim de duas semanas, as células tratadas não reapareceram, "pelo que se pode chegar à conclusão de que foram destruídas".

Em um artigo publicado na edição de 19 de agosto da revista científica britânica 'Aids Research and Therapy', a equipe isralense, composta por Aviad Levin, Zvi Hayouka, Assaf Friedler e Abraham Loyter, afirma que as pesquisas podem "resultar eventualmente em uma nova terapia geral" contra a Aids.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.