Cientistas israelenses anunciam avanço no tratamento da Aids

Equipe de pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém conseguiu destruir células infectadas pelo vírus HIV

AFP |

Getty Images
Na imagem, vírus HIV atacando células humanas
Cientistas israelenses anunciaram que conseguiram destruir em laboratório células infectadas pelo vírus da Aids sem afetar as células saudáveis, informa o jornal Haaretz.

Os cientistas, da Universidade Hebraica de Jerusalém, destacaram que criaram um tratamento a base de peptídios (polímeros de aminoácidos) que provocam a autodestruição das células infectadas pelo vírus HIV.

Até o momento, as terapias de combate à Aids tentam matar o vírus presente nas células, com o risco de um retorno da infecção se o tratamento for interrompido ou se o vírus se tornar imune.

O cientista Abraham Loyter explicou ao Haaretz que ao fim de duas semanas, as células tratadas não reapareceram, "pelo que se pode chegar à conclusão de que foram destruídas".

Em um artigo publicado na edição de 19 de agosto da revista científica britânica 'Aids Research and Therapy', a equipe isralense, composta por Aviad Levin, Zvi Hayouka, Assaf Friedler e Abraham Loyter, afirma que as pesquisas podem "resultar eventualmente em uma nova terapia geral" contra a Aids.

    Leia tudo sobre: aidscélulas infectadasdestruição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG