Cientistas identificam 29 genes relacionados à esclerose múltipla

Descoberta pode ajudar a desenvolver instrumentos para o diagnóstico da doença e também para a criação de novos medicamentos

AFP |

Cientistas anunciaram nesta quarta-feira (10) ter identificado 29 genes mais relacionados com a esclerose múltipla (EM), doença cujas causas exatas ainda são desconhecidas. A EM afeta, aproximadamente, uma em cada mil pessoas e acredita-se que tenha causas hereditárias e ambientais.

A doença faz com que o sistema imunológico ataque a mielina, lipoproteína que constitui a bainha das fibras nervosas. Os sinais nervosos se perdem, provocando problemas de coordenação, equilíbrio, visão ou expressão oral.

Em artigo publicado no periódico científico Nature , um grupo de cientistas afirma ter identificado 29 genes com variedades associadas à EM e cinco outros que talvez também influenciem na doença. Estes  genes se agregam às 23 variações, cuja participação na doença era desconhecida.

Anteriormente, cientistas acreditavam que pessoas com deficiência de vitamina D teriam alto risco de sofrer de esclerose múltipla.

Os cientistas esperam que as novas descobertas permitam, no futuro, desenvolver instrumentos mais aprimorados para diagnosticar a doença e, talvez, produzir medicamentos que protejam ou consigam reparar a mielina.

    Leia tudo sobre: esclerose múltiplagenética

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG