Cientistas garantem que Robonauta não substituirá astronautas

Réplica do robô espacial mostrou suas habilidades em museu em Washington

EFE |

NASA
Robô pode ajudar astronautas em suas funções, mas não subsitui-los
Apelidado de R2, o Robonauta 2, que é considerado o robô humanoide mais hábil já construído, foi enviado à Estação Espacial Internacional (ISS) enquanto seu irmão gêmeo cativou nesta quarta-feira (16) o público mostrando suas habilidades, projetadas para auxiliar os astronautas.

Leia mais:
Robonauta vai se tornar mais novo membro da ISS

"O robô foi projetado para ajudar os astronautas, antes, durante e depois de suas atividades", disse o engenheiro da Nasa Ron Diftler durante a apresentação do robô no Museu do Ar e do Espaço da Instituição Smithsonian, em Washington.

R2 está fazendo uma viagem pelo país com a equipe de cientistas da Nasa e engenheiros da empresa General Motors (GM) que trabalharam em conjunto no projeto.

"Queremos que o robô ajude a fazer trabalhos de manutenção e consertos para que a tripulação tenha mais tempo para outras tarefas científicas mais importantes", assegurou Diftler, da divisão de sistemas de robótica da Nasa.

O simpático robô cativou o público com suas habilidades, ao agarrar uma broca, levantar pesos e acender e apagar os interruptores de luz de um painel como os da ISS, sem esquecer de abrir e fechar posteriormente a tampa de segurança.

Seu aspecto humanoide e a paciência que demonstrou quando Diftler tentou enganar-lhe levantando os protetores, que o androide voltou a colocar em seu lugar, ganhou o aplauso das crianças e turistas que visitaram o Robonauta.

"O bom é que não se queixa, poderia estar uma hora fazendo isto e não reclamaria. É o empregado que todo chefe quereria ter", brincou Diftler.

Perante a temida pergunta sobre se chegará um momento em que estes robôs possam substituir os astronautas no espaço, o engenheiro foi claro: "Nosso objetivo é sempre criar dispositivos para ajudar a tripulação, nosso objetivo é seguir tendo astronautas fora no espaço", assegurou.

O robô, construído com fibra de carbono niquelado e alumínio, pesa 136 quilos e mede aproximadamente um metro da cintura à cabeça, e 60 centímetros de ombro a ombro. Por enquanto, não tem membros inferiores.

O R2 conta com braços extensíveis, mãos com mobilidade rotatória e seus cinco dedos têm capacidade para agarrar 2,5 quilos cada um, que como mostraram os engenheiros se podem programar para operar com distinta pressão.

A cabeça com formato de capacete abriga seu equipamento de visão, enquanto o tronco do corpo humano posiciona os 38 processadores de PC.

Por enquanto, seu irmão gêmeo, que chegou à ISS a bordo do Discovery, foi desempacotado na noite passada para ajudar em trabalhos técnicos e de manutenção como a limpeza dos filtros dos aparelhos.

    Leia tudo sobre: robonautaissespaçonasa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG