Substância é orgânica e alia as propriedades do vidro com as de resinas e borrachas, e pode ser reciclado

Pesquisadores mostram como o novo material pode ser moldado com calor por diversas vezes
CNRS
Pesquisadores mostram como o novo material pode ser moldado com calor por diversas vezes
Cientistas franceses descobriram um novo material orgânico que tem propriedades parecidas com a do vidro e que pode ser utilizado na indústria, informou nesta quinta-feira o Centro Nacional de Pesquisas Científicas do país (CNRS).

O instituto explica que o material é bastante maleável e reciclável, e assim como o vidro, pode ser trabalhado a altas temperaturas. O CNRS publicará um estudo sobre o assunto na edição do periódico científico Science desta semana.

Leia também:
Abacaxi e banana viram superplástico para setor automotivo

Cientistas peruanos inventam plástico biodegradável à base de batata
Engenheiros inventam tenda que vira concreto quando molhada
Novo material pode dar ímpeto a energia solar
Planta carnívora inspira novo material impermeável

O novo produto poderá ser aplicado nos setores automobilístico, aeronáutico, construção civil, eletrônico e lazer. O novo material mantém propriedades das resinas orgânicas e da borracha: é insolúvel e resistente. As resinas empregadas atualmente para substituir os metais, após tomarem uma forma, não podem ser modificadas.

"A estrutura desenvolvida é capaz de se reorganizar sem alterar o número de inter-relações entre seus átomos. Ele passa do estado líquido ao sólido e vice-versa, como o vidro", explicou um comunicado do CNRS.

Até agora, destaca a entidade, só o silício e alguns compostos inorgânicos tinham mostrado esse tipo de comportamento. "O material é insolúvel quando aquecido, inclusive acima do ponto de transição de temperatura do vidro".

À temperatura ambiente, a estrutura se parece com sólidos duros ou elásticos brandos. Os cientistas afirmam que o material tem uma vantagem sobre a borracha, pois as resinas termoestáveis e os plásticos convencionais não podem ser trabalhados por ação do calor. O CNRS afirmou que é um desafio encontrar uma estrutura semelhante ao vidro, resistente, reciclável e maleável, o que significa uma grande vantagem do ponto de vista econômico e ecológico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.