Cientistas criam bicho-da-seda que produz teia de aranha

Inseto geneticamente modificado produzirá fibra resistente que pode ter várias aplicações biomédicas e industriais

AFP |

Cientistas americanos conseguiram modificar geneticamente bichos-da-seda para fazê-los produzir teia de aranha, um material conhecido por sua resistência e elasticidade excepcionais, segundo trabalhos publicados nesta quarta-feira (29).

Esta técnica abre a via para a produção industrial desta fibra, até agora restrita a laboratórios e em quantidades muito pequenas.

"A pesquisa representa um passo importante no desenvolvimento de fibras de seda (de qualidade) superior para aplicações médicas e não médicas", explicou Malcolm Fraser, professor de biologia da Universidade de Notre-Dame (Indiana, norte dos EUA) e inventor de uma técnica de engenharia genética que permitiu este avanço.

O cientista trabalhou em colaboração com a empresa de biotecnologia Kraig Biocraft e com Randy Lewis, bioquímico da Universidade de Wyoming (oeste), um dos principais especialistas do mundo em bichos-da-seda.

"Poder produzir fibras de seda com propriedades das teias de aranha é um dos objetivos chave da ciência de materiais", acrescentou o pesquisador em um comunicado.

O fio natural que forma a teia de aranha tem propriedades físicas excepcionais, entre elas elasticidade e força de tração maiores que a fibra de seda natural.

A teia de aranha "artificial", produzida por estes bichos-da-seda transgênicos, tem as mesmas propriedades que as feitas pelas aranhas, afirmou o cientista.

Entre as aplicações biomédicas, os autores destes trabalhos mencionaram fios de sutura mais finos ou fibras para substituir ou reparar tendões e ligamentos rompidos.

Estas fibras também poderiam ser utilizadas na fabricação de tecidos mais resistentes e leves, entre outras aplicações industriais possíveis.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG