Cientistas buscam valor constante para o quilo

Medições feitas há mais de 100 anos mostram que o quilo perdeu peso, sua massa mudou o equivalente a um grão de areia

AFP |

AFP
Imagem, do Escritório Internacional de Pesos e Medidas, mostra o protótipo internacional do quilo
Quanto pesa um quilo? A pergunta parece boba, mas alguns cientistas continuam buscando a resposta sem perder a esperança de chegar a um valor constante para o quilograma, independente de qualquer objeto físico.

Desde 1889, o quilograma (kg) está baseado em um cilindro composto por 90% de platina e 10% de irídio, fabricado em Londres em 1879 e conservado sob uma redoma de vidro no Escritório de Pesos e Medidas de Sèvres, nas proximidades de Paris.

As medições feitas há mais de 100 anos mostram que o kg 'perdeu peso'. A massa mudou o equivalente a um grão de areia de 0,4 mm de diâmetro.

A mudança foi o suficiente para que os cientistas de todo o mundo estudassem uma definição que passe do objeto físico, como foi feito com o metro, definido agora pela velocidade da luz.

O objetivo é redefinir todas as unidades básicas - massa, distância, tempo, etc - com valores estáveis e universais.

Para o quilograma, os cientistas sugerem o uso da constante de Planck, um valor que tem o nome da física quântica, Max Planck. Complexa para um leigo, a constante de Planck se define com uma fórmula chamada h.

Resta por definir a relação entre o quilo de toda a vida e a constante de Planck. Para isto, várias experiências estão sendo feitas em todo o mundo. Os cientistas utilizam balanças de watt, um aparelho que permite converter a potência mecânica em potência elétrica e vice-versa.

"Nossos experimentos avançam, mas é muito cedo para colocar em prática a nova definição do quilograma", destacou Michael Stock, da Royal Society de Londres.

"Um dos problemas é que vamos precisar de mais balanças de watt do que as que temos para medir de maneira confiável o quilograma quando for aplicada a nova definição", explica.

Para Stock a mudança tem chance razoável de ser aprovada na próxima conferência de pesos e medidas prevista para Paris em 2015.

    Leia tudo sobre: CiênciasFísica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG