Cientistas australianos criam "super camarão"

Melhoramento genético permitiu a criação de um animal que cresce mais rápido e é mais saboroso, dizem os pesquisadores

EFE |

Getty Images
O "super camarão" é criado em cativeiro e cresce 20% mais rápido
Após dez anos de pesquisa e graças à seleção genética, cientistas australianos conseguiram criar um "super camarão", maior e mais saboroso que a espécie natural.

Especialistas em biologia molecular da organização para a pesquisa industrial e científica da comunidade da Austrália analisaram o DNA do crustáceo ao longo de oito gerações até identificar qualidades como a cor, o sabor e o tamanho. Pouco a pouco, foram comparando aos melhores até chegar ao "super camarão".

O líder do projeto, Nigel Preston, explica em comunicado que quando iniciou o estudo em 2000, a piscicultora Gold Coast Marine Acquaculture, no oeste do país, produzia uma média de cinco toneladas da espécie de camarão por hectare.

Mas uma década depois e graças às modernas técnicas genéticas aplicadas à criação do crustáceo, a última colheita foi a maior de sua história com 17,5 toneladas por hectare até alcançar um total de 875 toneladas. "O aumento na produtividade e rendimento é um grande passo", diz Preston.

Segundo estes cientistas, o camarão gigante cresce 20% mais rápido que o resto e no futuro poderia duplicar a produção na Austrália, um dos maiores importadores do mundo, em momentos nos quais as capturas comerciais estão em mínimos históricos.

Na piscicultora australiana que colabora com o projeto, o crustáceo se cria em piscinas de água salgada. Seu principal alimento é um grão de farinha industrial elaborado a partir de restos de carvão. "Não só conseguimos um nível de produção recorde nacional e internacional sem perder qualidade nem sabor, mas também estes crustáceos são cultivados com um sistema de produção sustentável e especialmente desenhado para proteger o meio ambiente", afirma com orgulho o diretor da empresa, Nick Moore.

Moore acrescenta que "este sistema de produção e as novas variedades geraram um camarão perfeito, com uma carne de textura excelente, cor intensa, de tamanho grande e muito sabor". O alimento já foi introduzido nos pratos de famosos chefs australianos como Luke Mangan, que ressalta que "é doce e muito saboroso. Isso é o que os especialistas da culinária buscam, além de ser sustentável".

Uma das vantagens do "super camarão" é que está livre de transmitir qualquer doença, pois os biólogos moleculares podem localizar e eliminar qualquer vírus. Além disso, também pode se reproduzir em qualquer momento do ano e, por isso, pela primeira vez, muitos australianos poderão servi-lo fresco na ceia de natal em pleno verão australiano e não ter de seguir importando da China e do Vietnã.

Segundo os "pais" da espécie de camarão gigante, se toda a indústria local adotasse seu sistema, a produção aumentaria de 5 mil para cerca de 12,5 mil toneladas anuais e geraria US$ 100 milhões adicionais.

    Leia tudo sobre: camarãogenéticaaustrália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG