A psilocibina poderá ser usado como tratamento para melhorar a qualidade de vida de pacientes com câncer em estado avançado

Um estudo científico validou o consumo controlado de psilocibina, substância encontrada em cogumelos alucinógenos, como tratamento para melhorar a qualidade de vida de pacientes com câncer em estado avançado, informou hoje o jornal "Los Angeles Times".

Na primeira pesquisa realizada em humanos com drogas psicodélicas em mais de 35 anos, os cientistas do Los Angeles Biomedical Research Institute (LA BioMed) demonstraram que o consumo dessa substância tem efeitos benéficos aos doentes.

A psilocibina, um alucinógeno natural, foi fornecida a 12 pacientes com tumor em estado avançado que não respondiam a tratamentos convencionais e foi observada uma redução na ansiedade e uma melhora no ânimo durante os seis meses seguintes.

"Este estudo mostrou que é possível administrar de forma segura a psilocibina e que deveriam ser realizadas mais pesquisas com alucinógenos para estabelecer seus benefícios potenciais", disse Charles S. Grob, diretor do estudo.

O resultado deste trabalho foi publicado esta semana na revista "Archives of General Psychiatry" e é considerado o primeiro passo para restaurar a reputação dessas drogas.

Durante as décadas de 50 e 60 foram realizados numerosos estudos que concluíram que as substâncias alucinógenas tinham efeitos positivos sobre o humor e a ansiedade, do mesmo modo que diminuíam a necessidade de aplicar narcóticos para atenuar a dor de pacientes com câncer avançado.

Estas linhas de pesquisa foram abandonadas nos anos 70, coincidindo com a popularidade alcançada pelo consumo de alucinógenos com fins lúdicos, o que levou ao endurecimento da legislação nos EUA contra essas substâncias. EFE fmx/tf

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.