Ex-professor da Universidade da Flórida desviou R$ 4,9 milhões da agência espacial americana

Um cientista e ex-professor da Universidade da Flórida foi considerado culpado por um júri federal por desviar, junto à esposa, mais de US$ 3 milhões ( R$ 4,9 milhões) da agência espacial americana) e de outros organismos federais, informou nesta segunda-feira uma fonte judicial.

Samin Anghaie, de 61 anos e origem iraniana, e sua mulher, Sousan, de 56, foram considerados culpados por um tribunal de Gainesville (norte da Flórida) de 28 e 26 acusações de fraude, respectivamente, e de conspiração, após três semanas de julgamento.

O casal foi acusado em 2009 de "obter fundos" ilegalmente da Nasa após uma inspeção nos escritórios do professor de engenharia nuclear por agentes do FBI (polícia federal).

A investigação concluiu que o cientista e sua mulher eram suspeitos de preparar "fraudulentas" faturas mediante as quais obtiveram milhares de dólares.

A investigação centrou-se na companhia New Era Technology Inc (Netech), criada em 1988 como uma empresa de pesquisa de alta tecnologia.

Sousan era a presidente da companhia que, desde 1999, obteve 13 contratos federais por US$ 3,4 milhões, dos quais 2,5 milhões procediam da Nasa.

Segundo agentes do FBI, grande parte do dinheiro da companhia foi desviada para contas pessoais para comprar veículos e propriedades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.