Cientista britânica descobre espécie 'perdida' de morcego

Bióloga encontrou uma fêmea grávida de espécie que não era vista há 40 anos em ilha do país de Gales

BBC Brasil |

selo

Uma bióloga da Universidade de Exeter, na Grã-Bretanha, Fiona Mathews encontrou um exemplar do morcego-pipistrela, uma fêmea grávida- a primeira da espécie encontrada na ilha nos últimos 40 anos. "Ficamos surpresos e felizes ao encontrar este morcego marrom de orelhas compridas, e particularmente animados com o fato de que é uma fêmea esperando um filhote, pois sugere que existe uma colônia se reproduzindo", afirmou a bióloga.

Morcegos da espécie tinham sido vistos pela última vez nas ilhas Scilly na década de 60. Conhecidos também como "morcegos sussurrantes", estes animais usam suas orelhas longas para captar sons de lagartas e outros insetos dos quais de alimentam. Devido ao fato de voarem apenas quando está muito escuro, e de os sons que emitem serem baixos demais para serem captados por aparelhos, estes morcegos são praticamente impossíveis de serem detectados por métodos tradicionais de pesquisa. E a espécie vive em áreas de florestas, que são escassas nas ilhas Scilly.

BBC Brasil
Espécie foi descobertades nas ilhas Scilly, a oeste do País de Gales
Pinheiros

Mathews conta que a fêmea foi encontrada em um "velho pinheiro Monterey, plantado na costa para proteção contra o vento, e se alimentando em uma longa avenida de olmos". "Agora que sabemos que os morcegos estão lá, organizações conservacionistas locais podem começar a melhorar o habitat para eles", diz Mathews.

Ela afirma que será preciso adotar medidas como o plantio de árvores que atraiam insetos noturnos e a restrição da iluminação em algumas áreas das ilhas. Segundo Mathews, as autoridades das ilhas precisam fornecer locais apropriados para reprodução dos animais. "Pelo fato de não construírem ninhos, as mães precisam encontrar lugares que vão manter seus filhotes quentes durante a noite, enquanto os adultos vão se alimentar. Eles podem usar sótãos ( em casas ) ou caixas, além de buracos em árvores."

A bióloga lembra que a última colônia destes morcegos desapareceu devido à intervenção humana em seu habitat. "A última colônia conhecida nas ilhas Scilly desapareceu quando o local onde eles ficavam, em um prédio, desapareceu e agora nós temos uma chance de reverter o destino ( dos morcegos )", afirmou.

    Leia tudo sobre: ambientemorcegosciência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG