Chefe do programa espacial russo promete novas naves

Anatoly Perminov reconhece que até 70% da eletrônica das naves depende de peças importadas; design atual tem mais de 40 anos

iG São Paulo |

Nasa
Uma nave Soyuz, modelo que foi desenvolvido há mais de 40 anos e do qual depende a ISS
A Rússia testará uma nova geração de naves, construirá um novo cosmódromo e analisará enviar astronautas a Marte a partir de 2035, disse o chefe do programa espacial da primeira nação a enviar um homem à órbita terrestre.

Mas Anatoly Perminov reconheceu que as naves russas dependem de equipamento eletrônico importado, falando a legisladores um dia depois de o país celebrar os 50 anos da órbita histórica de Yuri Gagarin.

“Temos de reconhecer que componentes importadores respondem por de 60% a 70% do material eletrônico nas naves lançadas neste ano”, declarou ele à câmara alta do parlamento russo.

O presidente Dmitry Medvedev havia prometido, na terça-feira, 12, que o espaço continuará a ser uma prioridade do governo, mas céticos lembraram que o país não fez praticamente nada para desenvolver um sucessor para as naves Soyuz, criadas há 43 anos.

A Rússia vem usando os modelos Soyuz (tripulado) e Progress (automático) para manter o acesso ao espaço. Ambos os designs datam nos tempos da Guerra Fria. Essas duas modalidades de nave passarão a ser o único elo entre a Estação Espacial Internacional (ISS) e a Terra a partir de junho, quando os EUA realizarão o voo dos ônibus espaciais.

Alguns cosmonautas advertem que, embora a Rússia vá se beneficiar desse monopólio temporário, o país poderá ficar para trás assim que os americanos lançarem sua nova geração de naves.

Autoridades russas propuseram 2015 como ao no de lançamento da nave sucessora da Soyuz, mas críticos afirmam que o desenvolvimento do novo veículo mal começou.

Segundo Perminov, serão necessários pelo menos 15 voos de teste bem-sucedidos antes que a nova nave, chamada Rus, possa levar uma tripulação para o espaço. Segundo ele, o programa de testes consumirá dois anos.

Perminov também disse que a Rússia iniciará neste ano a construção de uma nova base espacial, chamada Vostochny, no extremo oriental do país.

A Rússia vem utilizando a base de Baikonur, construída no Casaquistão durante o período soviético. Com a desintegração da URSS, o governo russo passou a ter de pagar às autoridades casaques um aluguel pela base. O contrato atual entre Rússia e Casaquistão vai até 2050.

(com informações da AP)

Leia também:

Após 3 décadas, Nasa define destino final dos ônibus espaciais
Há 50 anos, a humanidade chegava ao espaço

    Leia tudo sobre: espaçosoyuzestação espacial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG