Programa russo acusa que tela termoprotetora da cápsula estava com defeito, já fabricante culpa negligência no transporte

Soyuz TMA-01M é transportada até a plataforma de de lançamento em Baikonur, Casaquistão, no dia 5 de outubro
EFE
Soyuz TMA-01M é transportada até a plataforma de de lançamento em Baikonur, Casaquistão, no dia 5 de outubro
A cápsula de descenso da nave Soyuz TMA-20, cujo lançamento à Estação Espacial Internacional (ISS) está previsto para dezembro, sofreu graves danos em seu transporte à base de Baikonur (Cazaquistão), e provavelmente deverá ser substituída, informou hoje (6) uma fonte do programa espacial russo.

Segundo informações divulgadas pela agência "RIA Novosti", o porta-voz do programa declarou que a decisão da substituição está "praticamente tomada" e detalhou que os danos devem ter ocorrido porque a tela termoprotetora frontal, que protege o fundo da cápsula, se movimentou.

Por outro lado da empresa fabricante da Soyuz, afirmou que os danos detectados no contêiner de transporte da nave pilotada, assim como possivelmente no próprio aparelho, se devem à negligência no deslocamento pelas ferrovias do Cazaquistão.

O chefe da agência espacial russa Roscosmos, Anatoli Permínov, examinará a nave pilotada no complexo de montagem da base e estudará os relatórios da empresa e dos especialistas técnicos, a fim de determinar se a Soyuz TMA-20 sofreu danos adicionais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.