Atlantis se desacopla com sucesso da ISS

Ônibus espacial deve voltar para a Terra nesta quinta-feira

AFP |

O Atlantis se desacoplou com sucesso da Estação Espacial Internacional (ISS) nesta terça-feira (19), anunciou a agência espacial americana. A última separação do Atlantis com a Estação Espacial Internacional ocorreu às 6H28m GMT, como estava previsto.

Os astronautas foram acordados com a música "Don't Panic" da banda britânica Coldplay, que foi dedicada ao piloto Doug Hurley, responsável por guiar o Atlantis em sua manobra de desacoplamento da ISS.

Às 3h28 (de Brasília), o ônibus espacial , com quatro astronautas a bordo, soltou as amarras da ISS, onde estão outros seis tripulantes, e iniciou um voo de 360 graus deixando à mostra sua parte inferior para a inspeção ocular a partir da estação.

O propósito é determinar a condição dos painéis térmicos que revestem a aeronave, ao entrar na atmosfera a seu retorno, se submete a uma temperatura de 2 mil graus.

Quase duas horas depois, quando completou a pirueta, a nave começou a afastar-se da ISS, enquanto ambos os equipamentos orbitavam a Terra a 27 mil km/h.

Adeus
Poucos minutos depois de desacoplar da Estação Espacial Internacional uma campainha soou a bordo da ISS para saudar a partida da Atlantis, imitando uma tradição da Marinha."A Atlantis parte da ISS pela última vez", afirmou em seguida o norte-americano Ronald Garan, um dos astronautas da tripulação permanente atual da ISS.

"Obrigado por ter concluído a 37ª missão de construção da ISS, este extraordinário laboratório orbital", acrescentou, antes de desejar à Atlantis "boa viagem".

Próximos dias
A tarefa seguinte dos tripulantes do Atlantis é a inspeção do exterior da nave com um braço robótico de 15 metros de longitude desde o que uma câmara tomada imagens tridimensionais de alta fidelidade para revisar, novamente, a coberta térmica.

Os técnicos e engenheiros da Nasa no Centro Espacial Johnson, no Texas, a partir de onde a missão é controlada, vão estudar as informações recolhidas em todas as inspeções e nesta quarta-feira decidirão se o ônibus espacial está em condições aptas para o retorno.

Chegada
Após a chegada do ônibus espacial no Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral (Flórida), prevista para quinta-feira às 6h58 (de Brasília), a Nasa pretende comemorar o sucesso da missão, mas, como vêm dizendo durante meses os funcionários da agência espacial americana, será um momento com sentimento nostálgico.

Isso não só porque acabará o programa de ônibus espaciais e centenas de funcionários da Nasa ficarão sem emprego , mas também porque os Estados Unidos não têm preparada a nave para substituir o veículo que durante 30 anos transportou cargas e tripulantes ao espaço.

"Não acho que isto signifique o fim dos voos (espaciais) tripulados americanos, mas estamos em um período de incertezas e não sabemos por quanto tempo", declarou à Agência Efe Valerie Neal, curadora do setor de naves do Museu Nacional do Espaço, em recente entrevista.

"Foram as naves de uma geração inteira. A parte mais triste é que não há outra nave esperando, não sabemos como será o próximo veículo espacial ou qual será o próximo destino", assinalou.

A Nasa cedeu ao setor privado a função de desenvolver a nave do futuro, aproveitando algumas das capacidades da agência espacial, e marcou como novas metas para a prospecção espacial alcançar um asteroide em 2025 e chegar a Marte em 2030.

A agência espacial americana espera que os primeiros veículos comerciais fiquem prontos até 2015. No entanto, enquanto isso, os astronautas americanos dependerão de naves de programas estrangeiros para viajar à ISS - como as russas Soyuz, por cuja missão terá de pagar cerca de US$ 50 milhões.

O programa de ônibus espaciais começou em 1981 com o lançamento do Columbia, seguido pelo Challenger (1983), Discovery (1984), Atlantis (1985) e Endeavour (1992), que se transformaram na bandeira da prospecção espacial dos Estados Unidos.

O Challenger e o Columbia sofreram acidentes - o primeiro explodiu 73 segundos após decolar em janeiro de 1986 e o Columbia se desintegrou em fevereiro de 2003, quando regressava à atmosfera -, o que fez com que o público se comovesse ainda mais com o programa.

Nesta última missão, o Atlantis levou mais de 4 mil quilos de mantimentos e equipamentos - inclusive mais de 1,1 mil quilos de alimentos -, que ajudarão a ISS a continuar operando durante 2012, além de contribuir com vários experimentos científicos , como um elaborado para o desenvolvimento de vacinas contra a salmonela.

Como lembrança desta histórica missão, antes de fechar as duas escotilhas, os tripulantes do Atlantis entregaram a seus companheiros da ISS a bandeira que viajou ao espaço na missão STS-1, realizada pelo Columbia em 12 de outubro de 1981, e um escudo comemorativo da missão STS-135, a última da era dos ônibus espaciais.

(Com informações da EFE e da AFP)

    Leia tudo sobre: ônibus espacialnasaespaço

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG