Atlantis parte sexta-feira para última missão

É uma das últimas missões de ônibus espaciais americanos, que serão retirados de serviço no fim do ano

AFP |

O Atlantis, com sua tripulação de seis astronautas, decola nesta sexta-feira em direção à Estação Espacial Internacional (ISS) para uma das últimas missões de ônibus espaciais americanos, que serão retirados de serviço no fim do ano.

O voo, de número 32, será o último do Atlantis, que entrou em órbita pela primeira vez em 1985.

O lançamento do Atlantis está previsto para as 18H20 GMT (15H20 de Brasília) do Centro Espacial Kennedy, próximo a Cabo Cañaveral (Flórida).

Após a missão (STS-132), a terceira de um ônibus espacial neste ano, restarão apenas duas programadas antes que as três naves (Discovery e Endeavour, além da Atlantis) cessem suas atividades após três décadas de serviço que permitiram a construção da ISS.

"A nave e seu sistema de lançamento estão em perfeito estado e estamos prontos para o lançamento", indicou nesta quarta-feira durante uma coletiva de imprensa Mike Moses, o supervisor da equipe responsável pelo lançamento.

As previsões meteorológicas são 70% favoráveis para o momento do lançamento, acrescentou Todd McNaram, da base da Força Aérea americana em Cabo Cañaveral.

A contagem regressiva começou oficialmente na terça-feira às 22H00 GMT (19H00 de Brasília).

Durante a missão de 12 dias, dos quais durante sete o ônibus espacial permanecerá ligado à ISS, o Atlantis e sua tripulação transportarão mais de 12 toneladas de materiais, baterias para a estação, alimentos e experimentos científicos.

O módulo russo Rassvet MRM-1 é o maior elemento dos transportados pela nave.

Este pequeno aparelho pressurizado de cinco toneladas vazio, com seis metros de largura e 2,23 metros de diâmetro, está dedicado, principalmente, ao acoplamento das naves russas Soyuz e Progress.

Rassvet será ligado ao módulo russo Zarya da Estação com o braço robotizado da ISS Canadarm2. Transportará importantes peças de troca para a ISS, entre elas um radiador, uma câmara de descompressão e um braço robotizado europeu.

Além do MRM-1, o Atlantis transportará também uma plataforma destinada a cargas não pressurizadas chamada "Integrated Cargo Carrier", de 2,2 metros de largura por 4 de comprimento.

Três saídas extraveiculares de 6,3 horas cada por uma equipe de dois astronautas estão previstas durante esta missão para instalar novas baterias e uma antena de banda Ku de substituição na ISS.

A ISS, um projeto de 100 bilhões de dólares que começou em 1998 e no qual participam 16 países, é financiada sobretudo pelos Estados Unidos.

Após a aposentadoria dos ônibus espaciais, os EUA dependerão dos Soyuz russos para levar seus astronautas à Estação, até que uma nova nave americana esteja pronta para substituí-los.

Obama decidiu anular o programa Constellation de seu antecessor, que previa um retorno dos americanos à Lua até 2010 antes da conquista de Marte.

    Leia tudo sobre: ônibus espaciaisNasaEstação Espacial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG