Astrônomos confirmam existência de novo tipo de buraco negro

Estudo conseguiu provar que as fontes ultraluminosas de raio-X podem ser mais brilhantes do que se pensava

iG São Paulo |

Heidi Sagerud
Ilustração da nova fonte ultraluminosa HLX-1
Um grupo de astrônomos conseguiu encontrar evidências que a mais extrema fonte luminosa do universo, a fonte de raios-X chamada de HLX-1,  deve vir de um novo tipo de buraco negro. A fonte de raio-x está localizada na galáxia ESO 243-49 a cerca de 300 millões de anos luz da Terra.

A descoberta da HLX-1 – que tem intensidade 100 vezes maior que outros objetos de sua classe, e 10 vezes maior que a segunda fonte de luminosidade – está forçando cientistas a repensarem suas teorias sobre o brilho máximo de fontes ultraluminosas de raios-X, e fornece suporte à idéia de que o HLX-1 pode conter um buraco negro de massa intermediária.

O resultado da pesquisa foi publicado na última edição da revista científica Astrophysical Journal.
Os pesquisadores utilizaram o Very Large Telescope (VLT) do Observatório Europeu Sul, no Chile. 

    Leia tudo sobre: buraco negroespaçoesogaláxia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG