Astronautas podem ter que deixar Estação Espacial em novembro

Suspensão de voos russos à estação faz com que Rússia e Estados Unidos pensem em opções para a ISS

iG São Paulo |

O adiamento do próximo voo tripulado à ISS (Estação Espacial Internacional, na sigla em inglês), ocasionado pela queda do cargueiro russo Progress , na semana passada, fez com que as agências espaciais da Rússia e Estados Unidos aventassem a hipótese de um evacuação dos tripulantes da estação em novembro.

O diretor da agência espacial russa Alexei Krasnov informou que "o próximo lançamento ocorrerá no fim de outubro ou no começo de novembro, e não antes", para estabelecer a causa do acidente, já que os foguetes russos Soyuz usam o mesmo motor, independente do tipo de missão. Mas, segundo o chefe do programa da ISS na Nasa, Mike Suffridini, se isso acontecer, a estação será evacuada e controlada da Terra. "Se um (foguete) Soyuz não voar até 16 de novembro ou por volta desta data, será preciso evacuar a ISS", disse o chefe da ISS na Nasa, Mike Suffredini.

Krasnov confirmou o plano: "Se, por alguma razão, fracassarmos em enviar o novo equipamento até o fim de novembro, devemos estudar todas as opções possíveis, inclusive a de deixar a estação sem tripulantes", disse Krasnov, o que seria algo inédito para a ISS.

"Sempre há uma forma de pilotagem. A estação pode funcionar sozinha, pois é automatizada, mas a ausência de tripulação a bordo não é uma variável desejável", declarou à rádio Echo de Moscou o especialista espacial russo Yuri Karach.

A informação foi confirmada pelo funcionário da Nasa, segundo quem a ISS pode funcionar sem tripulação "por tempo indefinido sem falhas técnicas dos sistemas críticos".

Mas a Rosksomos e a agência espacial americana (Nasa) estão preocupadas com os riscos relacionados à aterrissagem no inverno nas estepes cazaques, quando a noite é predominante.

"Não se pode adiar mais a aterrissagem, pois ocorreria de noite e isso não é desejável, absolutamente", informou uma fonte da Roskosmos à agência Itar-tass.

A Roskosmos e a Nasa garantem que a segurança da população está assegurada e que não faltarão nem provisões, nem oxigênio caso a missão se prolongue.

O voo adiado levaria para a estação orbital os russos Anton Chkaplerov e Anatoli Ivanichin, além do americano Dan Burbank.

Os três substituiriam os cosmonautas russos Andrei Borisenko e Alexandre Samokutiaiev, bem como o astronauta americano Ronald Garan, que terão que atrasar seu retorno à Terra, previsto inicialmente para 8 de setembro.

A tripulação da ISS é composta de seis membros e é renovada a cada seis meses. Atualmente, há três russos, dois americanos e um japonês a bordo da estação.

O acidente ocorreu poucas semanas depois dos Estados Unidos terem encerrado seu programa de ônibus espaciais , fazendo da Rússia o único país encarregado dos voos rumo à ISS , até que companhias privadas se encarreguem deste transporte. Foi o primeiro problema ocorrido com um Progress desde o início do uso da nave, em 1978, ainda na época da União Soviética.

(Com informações da AFP e AP)

    Leia tudo sobre: espaçoissrússianasa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG