Arqueólogos romenos descobrem nova espécie de dinossauro

Dinossauro predador tinha duas garras afiadas e media apenas dois metros de altura. Ele habitava a Romênia há 70 milhões de anos

iG São Paulo |

Mick Ellison
A pata do dinossauro tinha duas garras retráteis e muito afiadas
Pesquisadores romenos e americanos descobriram um novo tipo de dinossauro. O terópode media apenas dois metros de altura, tinha duas garras retráteis nas patas posteriores e embora lembre predadores como o velociraptor, ele primava mais pela força que pela agilidade.

O Balaur bondoc que em romeno arcaico quer dizer “dragão atarracado” foi descoberto pelo geólogo Matyas Vremir da Sociedade de Museologia da Transilvânia. A descoberta será anunciada na edição desta terça-feira (31) da revista científica Proceedings of the National Academy of Science (PNAS).

Balaur deveria ser um dos maiores predadores daquele ecossistema”, disse o co-autor do estudo Zoltan Csiki, da Universidade de Bucareste, que observou que o alto nível do mar naquela época fazia da região um arquipélago.

Csiki disse que enquanto Balaur é extremamente fora do comum pelo fato de ser pequeno, forte e provavelmente pouco veloz apesar de lembrar animais ágeis como o velociraptor e outros dinossauros com penas encontrados na China.

De acordo com pesquisadores, o fóssil indica que o animal tinha cerca de dois metros de altura, uma constituição física mais robusta que a do velociraptor, predador que vivia por todo o planeta naquela época. O fóssil do Balaur é um esqueleto parcial que inclui membros dianteiros e posteriores, bacia, coluna vertebral, patas dianteiras, costela e ossos do rabo. Carnívoro, viveu no fim da era Mesozoica, na Europa.

Ele tinha um grande dedo do pé com uma enorme garra retrátil, provavelmente usada para atacar suas presas. Ele também tinha outra garra no segundo dedo do pé. Seus dedos e pernas eram pequenos, com os ossos unidos, a pélvis tinha um músculo enorme que unia a parte do corpo, o que indica que ele foi adaptado para a força ao invés da velocidade. As mãos eram atrofiadas e alguns dos ossos eram ligados.

“Enquanto nos esperávamos que existissem animais carnívoros nesta fauna, a descoberta de um animal tão singular com o Balaur é emocionante”, disse Mark Norell do Museu Americano de História Natural, em Nova York.

Matthew T. Carrano, curador da área de dinossauros do Museu Nacional de História Natural Smithsonian, em Washington, também concorda que a descoberta “é certamente algo novo”.

“Ele é uma destas coisas bizarras que fazem a gente lembrar que não devemos acreditar que já encontramos de tudo”, disse Carrano, que não fez parte da equipe de pesquisadores que encontrou o Balaur .

Na mesma região, pesquisadores também descobriram dinossauros com bico de pato e dinossauros herbívoros do tamanho de vacas.

“Comparado ao Velociraptor, o Balaur estava provavelmente mais para um kickboxer do que para velocista. Ele deve ter sido capaz de derrubar animais maiores que ele, como muitos carnívoros fazem hoje", disse Stephen Brusatte, aluno de pós-graduação da Universidade de Columbia e associado do Museu de História Natural.

Norell disse que é difícil determinar o que ele caçava e comia. Ele observou, no entanto que Balaur tinha muita força nos músculos da bacia, o que pode ter ajudado ele a usar sua força. Era um animal pequeno e também muito forte.

(Com informações da AP)

    Leia tudo sobre: dinossauroBalaur bondocromêniaterápode

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG