Arqueólogos acham no Marrocos esqueletos e sepulturas de 5.000 anos

Os esqueletos e as esculturas irão ajudar a desvendar os ritos funerários do período campaniforme

AFP |

Vários esqueletos humanos e sepulturas de 5.000 anos de idade foram descobertos numa gruta marroquina perto de Jemisset (80 km a leste de Rabat), indicaram nesta sexta-feira os arqueólogos encarregados das escavações.

"Pela primeira vez, foram descobertos no Marrocos esqueletos humanos que datam da civilização campaniforme (terceiro milênio antes de nossa era, entre o final do Neolítico e a primeira Idade do Bronze)", declarou à AFP Yusef Bokbot, arqueólogo e chefe da equipe encarregada das escavacões.

"Sete esqueletos e quatro sepulturas nos permitirão identificar com grande precisão os ritos funerários do período campaniforme. Uma grande novidade", explicou Bokbot.

Segundo o arqueólogo, "os objetos de cobre que descobrimos confirmam a evolução que a humanidade conheceu, ou eja, a passagem da pedra para o metal. Uma verdadeira mutação".

As escavações que levaram a esta descoberta foram realizadas numa gruta situada a 18 km de Jemisset, como parte de um projeto iniciado em 2006.

    Leia tudo sobre: marrocosesqueletosarqueologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG