Análise de hormônios explica dificuldade para reprodução dos pandas

Descoberta de que pandas gigantes machos também apresentam sazonalidade reprodutiva vai melhorar programas de acasalamento

Maria Fernanda Ziegler, iG São Paulo |

Chengdu Research Center for Panda Breeding
Sintonia: Estudo mostrou que acasalamento de pandas é ainda mais complexodo que se pensava
Para que um novo filhotinho de panda gigante seja gerado é preciso muita sincronia por parte do casal e é isso que faz com que a reprodução da espécie seja tão difícil.

Pesquisadores descobriram que não só as fêmeas, mas os pandas gigantes machos também apresentam sazonalidade reprodutiva. As ondas de atividade reprodutiva nos machos ocorrem de três a cinco meses antes de fêmeas entram no cio, para que eles tenham tempo de se preparar para a cópula. A descoberta revela mais uma complicação para a já intrincada reprodução de uma das espécies que mais correm risco de extinção no mundo.

De acordo com Cooper Aitken-Palmer, do Instituto de Conservação Smithsonian, embora seja uma o período de acasalamento seja muito curto, é raro que ocorra descompasso entre machos e fêmeas. O difícil é os machos identificarem as fêmeas que estão no cio.  “As mudanças que ocorrem durante o pico de capacidade reprodutiva dos machos os ajudam a procurar e identificar as fêmeas receptivas”, disse ao iG . O cio das fêmeas ocorre apenas uma vez por ano entre fevereiro e maio e dura apenas de 24 a 72 horas.

Com o estudo que durou três anos e analisou oito pandas machos em cativeiro na China, mostrou que para ser bem sucedido na cópula, o macho enfrenta alterações hormonais antes do período de acasalamento. “Estas alterações precisam ocorrer cerca de três meses antes para guiar comportamentos reprodutivos que permita que os machos distinguam as fêmeas no cio a partir de vocalizações, rastos olfativos e estimulo da atividade locomotora”, disse.

Leia mais:
Pandas criados em cativeiro desafiam mundo selvagem na China
Estudo aponta que fezes de ursos pandas aceleram produção de biocombustíveis
China terá centro para que pandas aprendam a viver livres na natureza
Panda de zoológico americano está com gravidez psicológica
Vídeo: Segundo bebê panda nasce no zoo de Viena

Estima-se que existam apenas 1600 pandas na natureza e, de acordo com os pesquisadores, o entendimento sobre a regulação das funções reprodutivas dos machos vai ajudar na melhoria dos programas de reprodução assistida dos pandas em cativeiro. A reprodução de pandas é algo muito difícil, para se ter uma ideia, o Zoológico de Edinburgo criou um “túnel do amor” para que um casal de animais não perca o período de acasalamento .

Apesar da estratégia criativa, o acasalamento fracassou. Os animais demonstraram interesse mútuo, mas não chegaram a produzir nenhuma cria . Agora será preciso esperar um ano para que ocorra a próxima possibilidade de acasalamento do casal de pandas gigantes do zoológico escocês.

“Os pandas gigantes certamente apresentam desafios únicos para os programas de reprodução. Entre os ursos, os pandas são os que têm o menor período de cio. Identificar o período do cio e a ovulação correspondente têm sido um dos maiores obstáculos”, disse ao iG

    Leia tudo sobre: pandareproduçãoconservação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG