Americanos criam robô-lagartixa

Os pesquisadores conseguiram recriar em robôs a técnica usada pelas lagartixas para escalada de paredes

Alessandro Greco, especial para o iG |

Divulgação
Paul Day and Alan Asbeck, da equipe de Stanford que criou o robô, acompanham a subida do Sticky-bot por uma parede de vidro
Imagine subir pelas paredes com a leveza e destreza do Homem-Aranha. A idéia não está tão longe da realidade segundo pesquisadores americanos liderados por Mark Cutkosky, da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. Eles desenvolveram o Sticky Bot, um robô capaz de subir paredes lisas.

Os engenheiros da universidade reproduziram, roboticamente, a biologia que permite às lagartixas fazer o mesmo. O segredo está literalmente em emular o intricado desenho dos pés da lagartixa. “A menos que você use ventosas, que são do tipo lento e ineficiente, a solução [para escalar paredes] é utilizar de adesão seca, que é a técnica da usada pela lagartixa", afirma Mark.

A adesão seca é basicamente colar os pés na parede se utilizando das forças de atração na escala atômica chamadas de força de Van Der Waals -- nome que homenageia o físico holandês Johannes Diederik van der Waals. As lagartixas fazem isso utilizando fios microscópicos, cerca de 100 vezes menor do que um fio de cabelo nas pontas dos pés, que grudam nas moléculas do material da parede usando a tal força – uma descoberta confirmada apenas em 2002 por cientistas americanos.

A solução encontrada pelos pesquisadores para emular os pés da lagartixa foi usar um material de borracha com fios de polímero feitos em micro-escala, um trabalho descrito na revista Aplied Physical Letters . O material é forte e reutilizável e não deixa resíduos nem danifica a superfície por onde caminha.

Outra vantagem da adesão seca é a possibilidade de carregar pesos grandes. “É muito diferente de durex ou fita adesiva, nos quais, se você pressiona, tem que puxá-lo para soltar. Você pode colocar levemente um adesivo direcional contra uma superfície e ele gruda. Mas se você puxá-lo em uma direção diferente, ele sai sem qualquer esforço", explica Mark. As outras técnicas para subir por paredes lisas, segundo o pesquisador, são como “andar com um chiclete nos pés”.

Robôs que escalam paredes verticais podem ser úteis para chegar locais perigoso ou de difícil acesso. A equipe já está desenvolvendo um sucessor para o Stickybot, capaz de girar os tornozelos, como uma lagartixa real.

Agora o projeto mais ambicioso é o Z-Man que possibilitará a humanos usar o material para escalar paredes no melhor estilo do Homem Aranha. A tecnologia ainda não tem data para estrear, mas pelo que os pesquisadores já conseguiram com o Stickybot, é apenas uma questão de tempo.

    Leia tudo sobre: robóticalagartixasuniversidade de stanford

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG