Alteração em gene de rato aumenta agressividade

Estudo mostra que desativar a versão paternal do gene Grb10 faz com que ratos se envolvam mais em conflitos

The New York Times |

The New York Times
Embriões de ratos com o gene Grb10 vindo da mãe(à esquerda) e vindo do pai, à direita: diferenças entre comportamento mais calmo ou mais agressivo
Para alguns genes, a versão ativa é ou da mãe ou do pai, mas não ambas. A versão funcional do gene é determinada antes da fecundação, quando o espermatozoide e o óvulo estão se desenvolvendo, num processo chamado "imprinting genômico". Ao imitar esse processo em laboratório, e desativando um gene em ratos, cientistas produziram uma alteração no comportamento de dominância social.

Leia mais:
Cientistas encontram grupo de neurônios "violentos"


Em testes laboratoriais, ratos com a versão paternal do gene conhecido como Grb10 desativada demonstraram comportamento mais agressivo, segundo uma nova pesquisa na revista "Nature".

Os pesquisadores perceberam que ratos com o gene desativado se envolviam em mais conflitos sociais, arrancando mais pelos e bigodes de outros ratos. E quando dois ratos eram colocados num tubo e se aproximavam um do outro, aqueles com o gene inativo eram menos inclinados a ceder.

"Tanto machos quanto fêmeas com o gene paternal desligado estão adotando esse comportamento socialmente dominante", disse Andrew Ward, geneticista do Centro de Medicina Regenerativa na Universidade de Bath, na Inglaterra.

Na natureza, a versão paternal do gene geralmente é ativa, afirmou Ward, mas alguns ratos podem possuir um número maior de versões ativas do que outros.

"Nós demonstramos o extremo", disse ele, "mas pode-se ter uma variação mais sutil no quanto esse comportamento é expresso".

Os humanos também trazem o gene Grb10, e diferentes manifestações dele também afetam a dominância social, explicou Ward.

    Leia tudo sobre: genéticaagressividade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG