Abertura de possível túmulo histórico causa expectativa na China

Arqueólogos pesquisam local de sepultamento de um dos homens mais poderosos das primeiras dinastias chinesas

EFE |

Arqueólogos chineses abriram neste sábado o possível túmulo do general Cao Cao, um dos homens mais poderosos das primeiras dinastias chinesas. A abertura do túmulo, localizado em uma região próxima ao rio Amarelo (centro), foi transmitida pelo canal de televisão estatal "CFTV" em um programa especial de três horas. Na realidade, há mais dúvidas do que respostas sobre se o túmulo é, como defendem alguns especialistas, onde Cao Cao foi sepultado.

Após a abertura do túmulo, foi descoberto que este se divide em duas partes que somam quase nove mil metros quadrados. Em uma delas, que seria a câmara funerária, foi encontrado um crânio de um homem de aproximadamente 60 anos (Cao Cao faleceu com 65) e dois de mulher (uma possivelmente de 50 anos e outra de 20). A primeira das câmaras estava praticamente vazia; lá havia apenas exceção de uma espada de ferro, o que faz pensar que o lugar pode ter sido saqueado, segundo os arqueólogos.

O general Cao Cao foi o braço direito do imperador nos últimos anos da dinastia Han (206 a.C. - 220 d.C.), é um dos personagens históricos mais populares na China. Protagonista de um dos clássicos da literatura em chinês, "Romance dos Três Reinos", também foi reencarnado em inúmeros filmes e séries televisivas. A descoberta de seu possível túmulo, em 2009, foi considerada como a notícia arqueológica de maior destaque do ano passado na China, embora alguns especialistas duvidem de que o mausoléu seja o verdadeiro lugar onde estão os restos de Cao Cao.

A Administração Estatal de Patrimônio Cultural incluiu na sexta-feira passada este túmulo na lista de "Dez descobertas arqueológicas mais importantes da China em 2009", o que, segundo especialistas, significa o apoio do Governo chinês às teorias que consideram o local como autêntico.

Lembrado por sua crueldade, mas também por seus dotes como estrategista militar e político, Cao Cao governou a região de Wei entre 208 e 220, que depois de sua morte se transformaria em um dos três reinos nos quais ficou dividido o império chinês da dinastia Han.

    Leia tudo sobre: chinahistóriaarqueologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG