“Achei que ninguém fosse conseguir me levar. Meu grande sonho era conseguir chegar ao espaço", contou o físico teórico e cosmólogo britânico

Reprodução/The Independent - 20.03.2017
"O que me fará muito feliz é poder viajar ao espaço”, contou Stephen Hawking em entrevista à TV

A empresa de voos espaciais Virgin Galactic espera levar, em breve, pessoas para viajar no espaço em missões comerciais. O proprietário da marca Richard Branson havia marcado a primeira experiência para 2009, mas o plano acabou sendo adiado após diversos problemas e desastres. Mas, agora, a companhia parece planejar uma “voltinha” muito especial, já que o físico teórico e cosmólogo Stephen Hawking será um dos passageiros do primeiro voo.

Leia também: Onze frases de Stephen Hawking para celebrar o aniversário do gênio da física

Em uma entrevista ao “The Independent”, Stephen Hawking disse que “três crianças trouxeram-no grandes alegrias, mas o que o fará muito feliz é poder viajar ao espaço”. “Achei que ninguém fosse conseguir me levar. Meu grande sonho era conseguir chegar ao espaço. Richard Branson me ofereceu um assento no Virgin Galactic, e eu disse sim imediatamente”, contou.

Na entrevista ao programa “Good Morning Britain”, o professor falou sobre diversos assuntos (não só sobre sua grande aventura futura). Um dos tópicos abordados foi o presidente norte-americano Donald Trump, a quem o físico chamou de “demagogo”, além de dizer que teme nunca mais ser bem-vindo nos Estados Unidos. “Sua prioridade será satisfazer seu eleitorado que não é nem liberal e nem bem informado”, afirmou.

Leia também: Vídeos de testes nucleares dos EUA durante a Guerra Fria são liberados; assista

O físico teórico também criticou Jeremy Corbyn (político britânico, atual líder do Partido Trabalhista e líder da oposição na Câmara dos Comuns), que, segundo Hawking, teria “permitido ser retratado como um defensor da esquerda extremista” – e que, na visão do professor, não é verdade. Por causa dessa visão que a mídia deu ao político, “ele pode nunca mais vencer uma eleição”, defendeu.

Ele também falou sobre o Brexit, assunto que está em alta nesta segunda-feira (20), depois de premiê Teresa May confirmar que o Reino Unido deixará a União Europeia de vez no próximo dia 29 de março. Sobre o movimento de saída do bloco europeu, votado em referendo no ano passado, o físico disse que “se o Brexit deve acontecer, isso não pode ser feito da maneira ‘isolada e voltada para dentro’ como a ala direita do Partido Conservador quer".

Leia também: Reino Unido começará Brexit no dia 29 de março, diz porta-voz de May

Stephen Hawking ainda alertou os políticos britânicos para que garantam que a Grã-Bretanha mantenha o maior número possível de ligações com a Europa e o resto do mundo, defendendo que abandonar a Europa "ameaça o status da Inglaterra como líder mundial em ciência e inovação".