Turistas que decidirem viajar ao espaço podem enfrentar enjoos por vários dias, crises de claustrofobia e vontade constante de urinar como reações

SpaceX vai mandar dois turistas ao espaço em 2018, mas quais serão os efeitos colaterais enfrentados por eles?
SpaceX
SpaceX vai mandar dois turistas ao espaço em 2018, mas quais serão os efeitos colaterais enfrentados por eles?

Depois de a empresa SpaceX anunciar que vai mandar dois turistas o espaço em 2018 , em uma viagem de uma semana ao redor da lua, surgiu a dúvida: quão segura a viagem é para pessoas pouco treinadas?

Leia também: "Estrelas além do tempo": Mulheres da Nasa viram figuras de Lego

Os turistas vão passar por treinamento, avaliações médicas e físicas para garantir que estão em condições de viajar ao espaço . Ainda assim, astronautas treinados por anos podem sofrer reações adversas e não será diferente com os viajantes.

A primeira dificuldade enfrentada será o enjoo provocado pelo movimento da nave. Isso acontece porque, em gravidade zero, os sensores de equilíbrio que dão a percepção de qual lado é para cima ou para baixo ficam confusos. Essa sensação pode passar dentro de horas ou dias, o que é um problema em um percurso com apenas uma semana de duração.

Outro sintoma comum é o inchaço da face e pernas. Os líquidos corporais que são puxados para baixo pela gravidade na Terra, se espalham pelo corpo fora da atmosfera e podem resultar em partes inusitadas do corpo inchadas.

Leia também: Sonda da Nasa encontra objeto desconhecido nos anéis de Saturno

A movimentação dos líquidos no corpo também pode desencadear a vontade recorrente de fazer xixi, um verdadeiro empecilho considerando que, em gravidade zero, tudo flutua, inclusive a urina.

Ossos e músculos podem sofrer mudanças, mas devido a curta duração da viagem, os danos não devem durar muito. Entre outros problemas estão possíveis crises de claustrofobia e alteração no ciclo de sono, que refletirá em forte jetlag ao fim da jornada.

Um risco mais baixo, mas potencialmente mais perigoso, é a exposição à radiação. Por mais que fenômenos de radiação sejam raros, também são imprevisíveis e podem durar até dois dias. Um humano exposto a esses eventos pode ficar doente e até morrer.

Leia também: Nasa celebra aniversário de "supernova titânica" com imagens incríveis

“Com o turismo espacial, mandaremos pessoas menos saudáveis que os astronautas dentro de uma nave. Se eles tomam remédios ou tem doenças preexistentes, não temos como saber como irão reagir à viagem porque nunca vimos isso antes”, afirmou o especialista em altitude espacial e medicina em condições extremas, Daniel Grant.

O maior risco, entretanto, continua sendo o de explosão durante o lançamento, no espaço, ou ao retornar à atmosfera terrestre. Por mais que a tecnologia tenha evoluído desde a última missão com humanos na lua, há 45 anos, é impossível prever acidentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.