Pesquisa mostra o que acontece dentro de cobra que engoliu jacaré

Por BBC | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Biólogo americano analisou radiografias tiradas durante os seis dias que a píton levou para digerir sua presa

BBC

Fotos e vídeos de cobras devorando outros animais sempre circulam na internet. Mas o que acontece por dentro do corpo de uma serpente quando ela engole, por exemplo, um jacaré?

O biólogo americano Stephen M. Secor, professor da Universidade do Alabama, analisou radiografias de uma píton birmanesa enquanto ela digeria sua presa.

Veja mais: Guarda florestal flagra momento em que cobra engole canguru inteiro na Austrália

Vídeo: Cobra píton se prende em asa de avião durante voo

No total, a cobra precisou de seis dias para digerir o jacaré inteiro.

"O jacaré se decompõe lentamente graças à ação combinada do ácido clorídrico e a enzima pepsina", explica Secor à BBC Mundo. "É surpreendente a facilidade com que as pítons podem digerir presas desse tamanho."

Segundo ele, as enzimas no intestino delgado têm a tarefa de romper a pele resistente do jacaré.

Secor e sua equipe já haviam feito o mesmo experimento com cobras engolindo pombas e ratos. Segundo eles, a principal diferença é a de que a serpente gasta mais energia para digerir as duras escamas do réptil do que nos casos anteriores.

Dia 1

É possível ver perfeitamente o corpo do jacaré, com a cabeça no lado esquerdo do raio-X. A serpente expandiu seu corpo para se moldar ao tamanho de sua presa.

Serpente expande seu corpo para se moldar ao tamanho do jacaré
Stephen M. Secor
Serpente expande seu corpo para se moldar ao tamanho do jacaré

Dia 2
No interior do intestino delgado da píton, o tecido mole do jacaré se dissolve e seu esqueleto começa a se romper. A taxa metabólica da cobra aumenta consideravelmente para separar enzimas e ácidos suficientes para fazer a digestão.

Jacaré começa a ser rompido no segundo dia de digestão
Stephen Secor
Jacaré começa a ser rompido no segundo dia de digestão

Dia 3
As escamas e os ossos do jacaré aparecem sendo digeridos. Durante esses dias, a serpente fica praticamente imóvel e, assim, se torna mais vulnerável a possíveis ataques.

Em todo o período de digestão, a cobra fica praticamente imóvel
Stephen Secor
Em todo o período de digestão, a cobra fica praticamente imóvel

Dia 4
No raio-X é possível ver que restam apenas as partes mais resistentes da presa. As enzimas e bactérias do intestino da cobra trabalham a todo o vapor.

Uma píton pode passar semanas sem precisar se alimentar novamente
Stephen Secor
Uma píton pode passar semanas sem precisar se alimentar novamente

Dia 5
Restam apenas alguns fragmentos do jacaré. Nesse momento, a principal tarefa do aparelho digestivo da cobra é eliminar os gases do processo de digestão.

Raio-x mostra que restam apenas alguns fragmentos do jacaré
Stephen Secor
Raio-x mostra que restam apenas alguns fragmentos do jacaré






Dia 6
A digestão termina. A partir desse ponto, segundo explica o biólogo, a píton pode ficar semanas ou até meses sem a necessidade de comer.

no 6º dia, a cobra finalmente consegue terminar a digestão de sua presa
Stephen Secor
no 6º dia, a cobra finalmente consegue terminar a digestão de sua presa



Leia tudo sobre: cobrajacaréraio-xengolir

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas