Cineasta fotografa raro relâmpago vulcânico no Japão

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ação, associada a grandes erupções, é vista regularmente no vulcão Sakurajima, um dos vulcões mais ativos do mundo

BBC

Imagens surpreendentes de um "relâmpago vulcânico", capturadas pelo cineasta Marc Szeglat no início de março, mostram a força da Terra em seu estado mais assustador e impressionante.

Leia todas as notícias de Ciência

Apesar de raro, fenômeno ocorre regularmente no vulcão japonês Sakurajima
Reprodução/BBC Brasil
Apesar de raro, fenômeno ocorre regularmente no vulcão japonês Sakurajima

Trata-se de um fenômeno raro, associado a grandes erupções vulcânicas. Apesar disso, e sem que se possa explicar, é algo que ocorre regularmente no vulcão Sakurajima, no Japão, um dos mais ativos do mundo.

Em sua mais recente expedição, Szeglat ficou emocionado em poder testemunhar uma das erupções mais dramáticas do Sakurajima e seus relâmpagos.

"O ‘relâmpago vulcânico’ também é chamado de ‘tempestade suja’ e é resultado de um raio que atinge uma nuvem de cinzas saídas de um vulcão", explica o alemão, que explora vulcões ativos há quase 20 anos.

"O Sakurajima é o único vulcão que eu conheço onde ocorrem relâmpagos frequentes em suas erupções diárias", diz.

"Em uma tempestade comum, cristais de gelo colidem e geram descargas elétricas, o que resulta em um raio. Em uma erupção, são partículas de cinzas que se chocam em vez dos cristais de gelo."

Ondas de choque

Para capturar as imagens extraordinárias do fenômeno, Szeglat e um amigo esperaram pelo momento em que um raio atingiu a coluna de lava saindo do vulcão, antecipando as ondas de choque e o som emitido pela enorme erupção.

"Houve um 'delay' de vários segundos entre ver a erupção e sentir a chegada da onda de choque e o barulho. Esses segundos foram emocionantes. Não tinha ideia da força dessas ondas de choque."

"Às vezes, elas são tão intensas que sua pressão pode fazer o tripé e a câmera balançarem. Desta vez senti o sopro de ar vindo de dentro da terra como uma rajada bem rápida", conta. "Depois, eu e meu amigo demos muitas gargalhadas de felicidade."

Marc Szeglat se dedica à exploração de vulcões ativos há 20 anos
O relâmpago registrado durante a explosiva erupção do vulcão Eyjafjallajökull, na Islândia, em 2010, pode ter sido outro exemplo de uma "tempestade suja".

Uma erupção explosiva ocorre quando gases ficam retidos no magma e sua pressão aumenta até que ele saia explosivamente de dentro do vulcão.

De 11 a 20 de maio de 2010, especialistas registraram uma intensa incidência de relâmpagos na coluna do vulcão, gerando faíscas na base e enormes raios.

Leia tudo sobre: japaovulcaoislandiaszeglat

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas