Supertelescópio colhe imagem inédita do nascimento de planeta

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Para pesquisadores, imagens podem revolucionar teorias de formação planetária e ajudar a entender como a Terra surgiu

BBC

Um supertelescópio no Deserto do Atacama, no Chile, flagrou uma imagem que revela detalhes sobre a formação dos planetas.

Leia mais notícias de Ciência

Reprodução/BBC
Imagem registrada pelo Alma mostra estrela HL Tauri rodeada por um disco de poeira

As antenas do observatório Alma (Atacama Large Millimeter Array) apontaram para a estrela HL Tauri, localizada a 450 anos-luz de distância, que se encontra rodeada por um disco de poeira. A imagem mostra uma série de anéis brilhantes enigmáticos nesse disco - que seriam os corpos planetários em formação.

Essas são as mais nítidas imagens obtidas até hoje com o Alma. Segundo os pesquisadores, representam um enorme passo no estudo do desenvolvimento de discos planetários e na formação de planetas.

"Assim que vimos a imagem, ficamos impressionados, sem palavras. A HL Tauri não tem mais do que um milhão de anos e, ainda assim, parece que o disco em volta dela já está repleto de planetas em formação", explica Catherine Vlahakis, cientista do Alma.

"Só esta imagem já é suficiente para revolucionar as teorias de formação planetária."

Detalhes reveladores

De acordo com os pesquisadores, o disco de poeira em torno da HL Tauri parece estar muito mais desenvolvido do que o esperado para um sistema com essa idade.

Por conta disso, eles concluem que o processo de formação planetária deve ser muito mais rápido do que o que se supunha até o momento.

"Temos quase certeza de que essas estruturas são o resultado de jovens corpos do planetários se formando no disco", disse Stuartt Corder, diretor-adjunto do Alma.

"Isso é surpreendente, porque não se espera que estrelas jovens como essa possuam na sua órbita corpos planetários suficientemente grandes, capazes de produzir as estruturas observadas na imagem."

Por causa das muitas colisões que sofrem, as partículas de poeira vão se juntando em volta das estrelas, crescendo em aglomerações que têm o tamanho de grãos de areia. Nesse processo, podem se formar asteroides, cometas e até planetas no disco.

No caso de jovens planetas, eles quebram o disco e dão origem a anéis, espaços e buracos vazios, como esses que foram flagrados na imagem do Alma. A investigação desses discos de formação planetária seria crucial para descobrir como a Terra se formou no Sistema Solar.

Para os cientistas, as observações dos primeiros estágios de formação planetária em torno da HL Tauri podem ajudar a entender como o próprio sistema planetário da Terra teria sido há mais de quatro bilhões de anos, na época da sua formação.

"A maior parte do que sabemos hoje se baseia em teoria. Imagens com esse nível de detalhe têm se resumido até agora a simulações de computador e concepções artísticas", esclarece Tim de Zeeuw, Diretor Geral do ESO (Observatório Europeu).

Leia tudo sobre: planetasistema solaresoeuropacorder

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas