Índia triunfa em sua primeira missão a Marte e atinge recorde

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Premiê Narendra Modi disse que esforço foi 'quase impossível'; país foi o único a completar viagem logo na primeira tentativa

A missão marciana de baixo custo da Índia obteve sucesso ao entrar na órbita do planeta vermelho nesta quarta-feira (24), coroando o que o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, definiu como esforço "quase impossível" para se tornar o único país a completar a viagem em sua primeira tentativa.

Ontem: Cápsula chega à Estação Espacial com impressora 3D e grupo de ratos

AP
Cientistas indianos da Organização de Pesquisa Espacial assistem exibição que explica a missão em Bangalore, Índia


Dia 22: Nave da Nasa entra na órbita de Marte

A Missão da Órbita de Marte triunfou com um orçamento de 74 milhões de dólares, quase um décimo da quantia que a Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) gastou para enviar a espaçonave Maven a Marte.

"Fizemos história hoje", disse Modi, que rompeu em aplausos ao lado das centenas de cientistas da estatal Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO, na sigla em inglês) quando se anunciou que a missão foi cumprida.

"Ousamos nos lançar ao desconhecido e conquistamos algo quase impossível", afirmou Modi no centro de comando espacial na cidade de Bangalore, no sul indiano.

A Índia se junta a Estados Unidos, Rússia e nações da Europa como país bem sucedido no envio de sondas para orbitar ou pousar em Marte, mas foi a única a fazê-lo em sua viagem inaugural.

Essa missão também faz da Índia a primeira nação asiática a chegar a Marte depois que a rival regional, a China, fracassou em sua tentativa de ultrapassar a órbita terrestre em 2011.

O país ficará na órbita do planeta por pelo menos seis meses, com instrumentos movidos a energia solar que recolhem dados científicos sobre os sistemas climáticos de Marte, bem como o que aconteceu com a água que se acredita já ter existido no planeta.

A missão visa ainda procurar metano em Marte, uma substância química fundamental nos processos de vida da Terra, que também podem ser obtidos de processos geológicos. Nenhum dos instrumentos irá enviar de volta dados suficientes para responder a estas perguntas de forma definitiva, mas especialistas dizem que os dados irão ajudá-los a entender melhor como os planetas se formam e quais condições os tornam habitável.

"É mais uma fonte de informação. Marte está revelando gradualmente seus segredos para a ciência e a humanidade, e a missão indiana é mais uma forma de desvendar esse enigma", disse o especialista em espaço Roger Franzen, gerente do programa de pesquisa da Universidade de Astronomia e Astrofísica da Austrália.

*Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: indiamartemissao espacialmodinasamaven

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas