Antigo réptil voador recebe nome em homenagem ao filme 'Avatar'

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Pterossauro viveu há 120 milhões de anos; espécie é chamada de Ikrandraci, que significa 'Ikran dragão', retratada no longa

Reuters

Algumas das sequências visualmente mais impressionantes do filme "Avatar", grande sucesso do diretor James Cameron, envolvem graciosas criaturas voadoras montadas por seres azuis semelhantes a humanos que enfrentam a destruição ecológica em uma lua chamada Pandora.

2013: Descoberta nova espécie de pterossauro que habitava a Europa

Reprodução/Youtube
Fósseis de pterossauro exposto em museu; restos mortais da espécie foram encontrados na China


Brasil: Começam escavações em busca de pterossauros no Ceará

Acontece que um animal muito parecido com as criaturas, chamadas no filme de Ikran, na verdade, existiram há muito tempo na Terra.

Cientistas anunciaram na quinta-feira (11) a descoberta de fósseis na China de uma nova espécie de réptil voador chamado de pterossauro que viveu 120 milhões de anos atrás e se assemelhava muito às criaturas do filme de 2009 e, por isso, foram nomeados em homenagem.

A espécie é chamada Ikrandraci avatar, que significa "Ikran dragão" do "Avatar". E esse pterossauro é notável por mais motivos do que sua semelhança com a criatura do filme.

Os cientistas disseram que parece que o Ikrandraci avatar tinha uma bolsa na garganta semelhante a de um pelicano. Ele provavelmente se alimentava de pequenos peixes de lagos de água doce, voando baixo sobre a água e capturando presas ao colocar sua mandíbula inferior abaixo da superíficie da água, disseram. Ele podia armazenar os peixes na bolsa, acrescentaram.

Este pterossauro do período cretáceo também ostentava uma crista de lâmina incomum em sua mandíbula inferior como aquelas das criaturas do filme.

"A estrutura de cabeça é semelhante neste pterossauro ao Ikran em 'Avatar'", disse um dos pesquisadores, o paleontólogo Xiaolin Wang, do Instituto de Paleontologia de Vertebrados e Paleoantropologia da Academia Chinesa de Ciências em Pequim.

"É claro que ninguém e nem nada pode montar este pterossauro", acrescentou Wang.

Outro dos pesquisadores, o paleontólogo Alexander Kellner, do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro do Brasil, brincou: "Por favor, não (houve) hominídeos azuis durante o Cretáceo."

O Ikrandraci avatar, cujos fósseis foram descobertos na província de Liaoning da China, ostentava uma envergadura de cerca de 8 pés (2,5 metros), disse Kellner.

Ele não tinha uma crista no topo da sua cabeça alongada como muitos pterossauros tinham. Por trás da crista maxilar inferior há uma estrutura em forma de gancho que parece ter sido o ponto de ancoragem para a bolsa na garganta, disse Kellner. Ele tinha dentes relativamente pequenos e bons para pegar peixes pequenos.

Ele vivia em uma região quente cheia de vida, com dinossauros com penas, aves, mamíferos, sapos, tartarugas e outros animais, juntamente com uma variedade de árvores e outras plantas, disse Wang. Os pesquisadores estudaram fósseis de dois espécimes de Ikrandraci avatar.

Os pterossauros foram os primeiros vertebrados voadores da Terra. Pássaros e morcegos teriam surgido posteriormente. Eles prosperaram de cerca de 220 milhões de anos a 65 milhões de anos atrás, quando foram eliminados pelo asteroide que também condenou os dinossauros. O estudo foi publicado na revista Scientific Reports.

Leia tudo sobre: avatarreptilwangchinaterrapassaromorcegosikranpterossauro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas