Neandertais e humanos podem ter 'trocado ideias', diz pesquisa

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Grupos coexistiram na Europa por período até dez vezes mais longo do que o esperado; novos materiais foram descobertos

BBC

Humanos modernos e Neandertais coexistiram na Europa por um período dez vezes mais longo do que se pensava anteriormente, diz um novo estudo.

2012: Estudo descarta miscigenação entre humanos e neandertais

Thomas Higham
Chegada dos humanos à Europa teria contribuído para o declínio da população Neandertal


Pesquisa: Estudo diz que homem moderno foi responsável pelo fim do Neandertal

O processo mais completo de datação de ossos e ferramentas Neandertais já feito sugere que as duas espécies viveram lado a lado por até 5 mil anos. Segundo os pesquisadores, os novos resultados indicam que os dois grupos podem até ter trocado ideias e hábitos culturais. O estudo foi publicado na revista científica Nature.

Até agora, restos de Neandertais foram datados por diversos laboratórios, mas muitos resultados foram considerados pouco confiáveis.

Agora, uma equipe internacional de pesquisadores coletou mais de 400 amostras dos sítios arqueológicos mais importantes da Europa. As amostras foram purificadas e analisadas na Universidade de Oxford, usando métodos sofisticados de datação.

Convivência

De acordo com o professor Thomas Higham, da Universidade de Oxford, os resultados oferecem a compreensão mais clara que já se obteve sobre a interação entre nossos ancestrais e os Neandertais, sobre quando eles se encontraram pela primeira vez e sobre o porquê da extinção Neandertal.

"Acho que podemos deixar de lado a ideia da extinção rápida dos Neandertais ter sido causada somente pela chegada dos humanos modernos. Em vez disso, vemos um processo mais complexo no qual há uma sobreposição mais longa das duas populações, na qual pode ter havido troca de ideias e de cultura."

Algumas datações anteriores sugeriam que os humanos modernos e os Neandertais coexistiram na Europa por apenas 500 anos.

Tais descobertas alimentaram a especulação de que nossos ancestrais podem ter massacrado os Neandertais ou transmitido a eles doenças para as quais tinham pouca ou nenhuma resistência.

As novas datações, no entanto, sugerem que as duas espécies conviveram na Europa por até 5 mil anos. Isso dá suporte à visão de alguns arqueólogos de que os avanços tardios nas técnicas Neandertais de confecção de ferramentas de pedra e no uso de joias foram copiados dos humanos.

O estudo indica que os Neandertais foram extintos na Europa entre 41 mil e 39 mil anos atrás - 10 mil anos antes do que se considerava anteriormente. Este é o dado mais preciso obtido até agora sobre a extinção da espécie e coincide com o início de um período muito frio na Europa.

As novas datações também sugerem que os humanos modernos chegaram à Europa muitos milhares de anos antes do que se acreditava, possivelmente por volta de 45 mil anos atrás.

Extinção gradual

Há evidências arqueológicas e genéticas de que quando os humanos modernos chegaram à Europa vindos da África, os Neandertais já estavam em declínio. Estudos anteriores mostraram que o número de Neandertais havia reduzido e os restantes já começavam a procriar com seus próprios parentes.

As datações mais recentes parecem revelar que a chegada dos humanos modernos aumentou os problemas dos Neandertais, de acordo com o professor Chris Stringer, do Museu de História Natural em Londres.

"Eles caçavam os mesmos animais, coletavam as mesmas plantas e queriam morar nas melhores cavernas. Então uma competição econômica iria acontecer", disse.

"Mas não foi uma extinção instantânea. Os Neandertais não foram caçados e mortos por humanos modernos ou dizimados por doenças que os outros podem ter trazido consigo. Foi um processo mais gradual."

Os números de indivíduos Neandertais caíram durante milhares de anos enquanto, ao mesmo tempo, a quantidade de humanos modernos aumentava.

O período gelado há 40 anos mil pode ter sido o fator que finalmente levou a população já enfraquecida à extinção.

Leia tudo sobre: neandertaiseuropahumanoscoexistencia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas