Nasa testará 'disco voador' com tecnologia para explorar Marte

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Nasa quer elevar capacidade máxima de carga de 1,5 tonelada para até 30, peso do equipamento exigido em missão tripulada

BBC

BBC
Nasa pesquisa formas de levar mais caraga à Marte para uma missão tripulada

A Nasa, a agência especial americana, se prepara para testar uma espaçonave muito parecida com um disco voador.

Na verdade, o LDSD (sigla em inglês do Desacelerador Supersônico de Baixa Densidade) é uma amostra do tipo de tecnologia que a raça humana precisará para pousar em Marte.

O LDSD será lançado de uma altitude elevada a partir de um balão posicionado sobre o Havaí. Ele testará um novo tipo de paraquedas e um anel inflável de kevlar que pode ajudar a reduzir a velocidade da espaçonave quando ela se aproximar da superfície do planeta vermelho.

A Nasa diz que está tentando elevar a capacidade máxima de carga que pode ser levada para Marte da atual 1,5 tonelada para algo entre 20 e 30 toneladas,– o peso do equipamento que uma missão tripulada exige.

Ian Clark, pesquisador do LDSD, disse à BBC News: "Nós estamos testando tecnologias que nos permitirão pousar maiores e mais pesadas cargas úteis, de uma maior altitude e com mais precisão do que jamais fomos capazes".

O teste acontecerá em uma base de testes da mísseis da Marinha americana em Kauai, no Havaí. Um balão de hélio levantará o LDSD a uma altitude de 35 quilômetros antes de soltá-lo. Um motor de propulsão a foguete deve então elevar o dispositivo a 55 quilômetros de altura a uma velocidade de Mach 4 (quatro vezes a velocidade do som).

Quando o LDSD começar a reduzir a velocidade, ele acionará seus dois novos sistemas de freios atmosféricos.

'Donut'

O primeiro a ser acionado será o "donut", um dispositivo inflável de seis metros. Ele aumentará o tamanho do veículo e como consequência a força de arrasto. Quando a velocidade cair para cerca de Mach 2,5, o paraquedas será acionado.

"O paraquedas supersônico que estamos testando é enorme", diz Ian Clark. "Ele tem 30 metros de diâmetro; ele gera duas vezes e meia o arrasto de qualquer paraquedas anterior que mandamos a Marte".

"Vamos levar o equipamento ao limite no qual os materiais dos quais o paraquedas é feito, nylon e kevlar, podem começar a derreter. Mas não sabemos, por isso vamos fazer esse teste".

Se as estruturas se mantiverem intactas, o paraquedas deve soltar o LDSD no oceano em 45 minutos. O plano da Nasa é fazer um novo teste no ano que vem, com um anel e um paraquedas maiores.

A sonda Curiosity, de uma tonelada, é o maior objeto que já pousou em Marte até agora.

Acredita-se que essa capacidade de carga terá que ser muito aumentada para que astronautas possam receber todos os suprimentos e equipamentos necessários para sobreviver no planeta.

Leia tudo sobre: cienciaNasamartemissão tripulada

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas