Em estudo liderado por brasileiro, macacos controlam braços virtuais com a mente

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Pesquisa conduzida pelo neurocientista Miguel Nicolelis na Universidade Duke

Dois macacos de laboratório aprenderam a controlar os movimentos de ambos os braços de um corpo virtual, ou “avatar”, usando apenas a atividade elétrica do cérebro.

Para permitir que macacos controlassem dois braços virtuais, os neurocientistas, liderado pelo cientista brasileiro Miguel Nicolelis na Universidade Duke, registraram simultaneamente a atividade elétrica de quase 500 neurônios dos dois hemisférios cerebrais do cérebro de cada um dos animais.

Leia mais: 
Estudo faz macaco mexer e sentir objetos virtuais só com o pensamento

A estudo publicada no periódico científico Science Translational Medicine representa um avanço nos esforços de desenvolver neuropróteses que possam restabelecer movimentos bimanuais em pacientes portadores de grave paralisia corpórea.

Durante o período de treinamento, os macacos foram encorajados a colocar mãos virtuais dentro de alvos específicos que apareciam na tela durante a execução de uma tarefa que utilizava as duas mãos. 

À medida que os animais melhoravam o seu controle mental dos movimentos dos braços virtuais, os cientistas observaram um alto grau de plasticidade cerebral em múltiplas áreas corticais do cérebro desses animais.

Os resultados do estudo sugerem que os cérebros dos primatas incorporaram os braços virtuais do avatar como uma extensão da “imagem interna” do corpo contida no sistema nervoso de cada um desses macacos, confirmando o estudo anterior recentemente publicado pelo mesmo grupo no Proceedings of the National Academy of Sciences.

Nicolelis e seus colegas estão incorporando os resultados desse estudo na estratégia usada pelo projeto Andar de Novo, uma colaboração internacional que visa construir o primeiro exoesqueleto robótico de corpo inteiro controlado por uma interface cérebro-máquina.

O Projeto Andar de Novo planeja demonstrar a operação desse primeiro exoesqueleto, que se encontra em desenvolvimento nesse momento, durante a cerimônia de abertura da Copa do Mundo de Futebol FIFA no dia 12 de junho de 2014.

Leia tudo sobre: pesquisanicolelismacacos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas