Cientistas usam raio para carregar celular

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Experimento pode possibilitar equipamentos que usam energia natural como fonte de força

BBC

Nokia
Desenvolvimento de novas tecnologias para carregar celulares é prioridade do setor

Mais de 200 anos depois de Mary Shelley escrever sobre a energia de um raio dando vida ao monstro Frankenstein,cientistas copiaram sua ideia para alimentar um telefone.

A experiência foi realizada na Universidade de Southampton, na Grã Bretanha, em colaboração com a Nokia.

A fabricante de celulares alertou seus clientes para "não tentar isso em casa". Aproveitar a natureza dessa forma poderia fornecer fontes de energia em que o suprimento de eletricidade é pequeno, explicaram os especialistas.

Grande passo

Usando um transformador, a equipe de cientistas recriou um raio dentro do laboratório. Eles fizeram 200.000 volts cruzarem o ar em um espaço de 30 centímetros.

"Essa descoberta prova que aparelhos podem ser carregados por meio de uma corrente que passa pelo ar. Isso é um grande passo em direção ao entendimento de uma força natural como o raio e o aproveitamento de sua energia", disse Neil Palmer, do laboratório de alta voltagem da Universidade de Southampton.

O raio é uma descarga de eletricidade que ocorre quando ocorre um desiquilíbrio da carga elétrica entre a núvem e a superfície da terra.

Em média três pessoas morrem por ano ao serem atingidas por raios na Grã-Bretanha, de acordo com a Sociedade Real para a prevenção de Acidentes.

Encontrar novas formas de carregar telefones celulares e extender a vida útil de suas baterias é a prioridade das indústrias do setor.

"É certamente uma ideia impressionante", disse Ben Wood, da empresa de análise CCS Insigh.

"Se você vive em um vilarejo remoto na Índia pode se beneficiar do desenvolvimento de um aparelho comunitário que carrega telefones", disse.

Leia tudo sobre: celularraio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas