Pesquisa liga tamanho de testículo a participação de pai na criação dos filhos

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Pais com testículos menores tendem mais a se envolver com tarefas como trocar fraldas, diz estudo americano

BBC

Getty Images
Segundo estudo americano, tamanho dos testículos está relacionado com os cuidados com os filhos

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos relaciona o tamanho dos testículos dos pais ao quão ativos eles são na criação de seus filhos.

Segundo os pesquisadores da Universidade Emory, de Atlanta, os homens com testículos menores têm mais chances de se envolver mais com tarefas como trocas de fraldas, alimentação e banho.

Eles também encontraram diferenças nas atividades cerebrais dos pais quando eles olhavam imagens de seus filhos, de acordo com o tamanho dos testículos.

Apesar disso, os pesquisadores observam que outros fatores, como normas culturais, também representam um fator importante.

Mundo animal
Os níveis de promiscuidade e os tamanhos dos testículos têm uma ligação forte no mundo animal, com a tendência dos animais com testículos maiores de copular com o maior número de fêmeas.

Os pesquisadores estavam investigando uma teoria evolutiva sobre o balanço entre investir tempo e esforços para copular ou empregar essa energia em criar os filhos.

Leia também: Estudo diz que homens de dedos anulares longos são mais atraentes

A ideia é que os testículos maiores sugeririam uma tendência maior em fazer mais filhos do que em criá-los.

O estudo, publicado na publicação científica Proceedings of the National Academy of Science, verificou a relação entre o tamanho dos testículos e a paternidade em 70 homens com filhos entre um e dois anos de idade.

Inclinação natural
A equipe da Universidade Emory analisou a atividade cerebral dos homens enquanto eles viam fotos de seus filhos.

A análise mostrou que aqueles com testículos menores tendiam a ter uma resposta maior na área do cérebro relacionada à recompensa do que naqueles com testículos maiores.

Os homens com testículos menores também tinham uma tendência maior, segundo os questionários respondidos pelos objetos da pesquisa, a ter um papel mais ativo na criação dos filhos.

"A pesquisa nos mostra que alguns homens são naturalmente mais inclinados a cuidar do que outros, mas não acho que isso possa servir de desculpas para os outros homens", disse à BBC um dos pesquisadores, James Rilling. "Isso somente mostra que isso pode exigir mais esforço para alguns do que para outros", observa.

Leia também: Estudo afirma que homens se sentem atraídos por mulheres parecidas com eles

Papel da testosterona
Os pesquisadores não souberam explicar a exata natureza da relação. Eles acreditam que o tamanho dos testículos, provavelmente determinado pelo hormônio testosterona, afeta o comportamento dos homens.

Mas não está claro se o processo de ter um filho tem algum efeito sobre os pais.

"Sabemos, por exemplo, que os níveis de testosterona baixam quando os homens se tornam pais participativos", diz Rilling.

Segundo os pesquisadores, novos estudos que analisem o tamanho dos testículos antes e depois de o homem se tornar pai são necessários.

As expectativas culturais e sociais sobre o papel dos pais também não foram levadas em conta no estudo.

Além disso, todos os homens analisados eram da região de Atlanta, então o impacto relativo da sociedade não foi mensurado.

Leia também: Testosterona pode induzir atitudes egocêntricas

Leia tudo sobre: testosteronapaisfamíliacuidadostestículospaternidade

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas