Cientistas vão fritar primeiro hambúrguer de carne artificial na próxima segunda

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Carne produzida a partir de células tronco de boi será consumida por dois voluntários

Reuters

Em laboratório no oeste de Londres vai fazer história culinária e científica na segunda-feira, quando os cientistas cozinharem e servirem o primeiro hambúrguer de carne cultivada em laboratório do mundo.

Leia mais: Um hambúrguer de R$ 650 mil

Reuters
Mark Post em seu laboratório onde produz carne artificial: processo caro é benéfico ao ambiente

O hambúrguer in-vitro, cultivado a partir de células-tronco de gado --o primeiro exemplo do que o seu criador diz que poderia ser uma resposta à escassez global de alimentos e ajudar a combater a mudança climática--, será frito em uma panela e provado por dois voluntários.

O hambúrguer é o resultado de anos de pesquisa do cientista holandês Mark Post, um biólogo vascular da Universidade de Maastricht, que está trabalhando para mostrar como a carne cultivada pode um dia ser uma verdadeira alternativa à carne de gado.

A carne do hambúrguer foi feita por entrelaçamento de fios de cerca de 20 mil proteínas que têm sido cultivadas a partir de células-tronco de gado no laboratório de Post.

O tecido é produzido colocando as células em um anel, como uma rosca, em torno de um cubo de gel de nutrientes, explicou Post.

Leia também:
Investidor aposta em carne artificial produzida por impressão 3D
Biólogo acredita que falta pouco para criação de bife artificial
Especialistas indicam o que fará parte do cardápio nos próximos 20 anos

Para preparar o hambúrguer, os cientistas misturaram a carne cultivada com outros ingredientes normalmente utilizados em hambúrgueres, tais como sal, ovos em pó e farinha de rosca. Suco de beterraba vermelha e açafrão foram adicionados para trazer as suas cores naturais.

"Nosso hambúrguer é feito a partir de células musculares retiradas de uma vaca" disse Post em um comunicado na sexta-feira. "Para termos sucesso tem que aparentar e ter gosto da coisa verdadeira."

(Por Kate Kelland)

Leia tudo sobre: ciênciacarne artificialhamburguer

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas