China descobre escrita primitiva de 5.000 anos

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Inscrições encontradas em machados de pedra seriam de uma fase entre símbolos e palavras completas

AP

AP
Inscrições neste pedaço de machado de pedra de 5000 anos são a prova mais antiga de escrita já encontrada na China

Arqueólogos afirmam ter descoberto um dos texto mais antigos do mundo, de

cerca de 5.000 anos, no leste da China, e algumas das marcas gravadas em
machados quebrados lembram um caractere chinês moderno.

As inscrições em artefatos encontrados em um sítio arqueológico ao sul de
Xangai são cerca de 1.400 anos mais velhas que a mais antiga língua
chinesa conhecido. Estudiosos chineses estão divididos sobre se as marcas
são palavras ou algo mais simples, mas eles dizem que a descoberta vai
trazer novas perspectivas sobre as origens da língua e da cultura chinesa.

Acredita-se que escrita mais antiga do mundo seja originária da
Mesopotâmia, datando de pouco mais de 5.000 anos. Já os caracteres
chineses teriam se desenvolvido de forma independente, dizem os
pesquisadores.

As inscrições foram encontradas em mais de 200 peças escavadas em
Liangzhu, um sítio datado do Neolítico. As peças estão entre milhares de
fragmentos de cerâmica, pedra, jade, madeira, marfim e ossos encontrados
no local entre 2003 e 2006, disse o arqueólogo chefe Xu Xinmin.

As inscrições ainda não foram analisadas por especialistas de fora do
país, mas um grupo de especialistas chineses em arqueologia e escrita
antiga se reuniu na semana passada na província de Zhejiang para discutir
o achado.

Eles concordaram que as inscrições não são suficientes para indicar um
sistema de escrita desenvolvido, mas Xu disse que elas incluem provas de
palavras em dois pedaços de machados de pedra.

Uma das peças tem seis inscrições em formato de palavras, que se
enfileiram de forma semelhante a uma frase curta.

"Eles são diferentes dos símbolos que temos visto no passado em
artefatos", disse Xu. "Os formatos e o fato de que eles estão em um padrão
parecido com uma frase indicam que eles são expressões de algum
significado."

Os seis caracteres são dispostos em uma linha, e três deles se parecem com
o ideograma chinês moderno para ser humano. Cada um tem entre dois e cinco
traços.

"Se cinco a seis deles são colocados juntos como uma sentença, eles não
são mais símbolos, e sim palavras", disse Cao Jinyan, pesquisador de
escrita antiga na Universidade de Zhejiang Hangzhou. Ele disse que as
marcas devem ser consideradas hieróglifos.

Ele disse que também existem outros caracteres isolados com mais traços.
"Se você olhar para a composição, você vai ver que eles são mais do que
símbolos", disse Cao.

Mas o arqueólogo Liu Zhao da Universidade de Fudan de Xangai alertou que
não havia material suficiente para qualquer conclusão.

"Eu não acredito que eles devem ser considerados texto segundo uma
definição mais estrita", disse Liu. "Nós não temos material suficiente
para estabelecer o período destas incrições na história da escrita
antiga."

Por enquanto, os estudiosos chineses concordaram em chamá-lo de escrita
primitiva, um termo vago que sugere que as inscrições de Liangzhu estão em
algum lugar entre os símbolos e palavras.

A mais antiga escrita chinesa conhecida foi encontrado em ossos de animais
- conhecidos como ossos de oráculo - que datam de 3.600 anos atrás,
durante a dinastia Shang.

Leia tudo sobre: chinaarqueologiaescritatexto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas