Estúdio de animação dos EUA recria células do corpo humano em 3D

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Objetivo do projeto é ajudar cientistas e estudantes a entender melhor o corpo humano

BBC

A ideia do projeto é ajudar estudantes e cientistas a compreender melhor o corpo humano. Acima, uma saliência irregular na membrana de plasma de uma célula. Foto: Xvivo/Barcroft USASterocilia são organelas do ouvido interno que respondem ao movimento de fluidos para cumprir várias funções, como audição e equilíbrio. Foto: Xvivo/Barcroft USAAcima, uma cinesina, uma proteína motora que transita através de estruturas da célula chamadas microtúbulos. Foto: Xvivo/Barcroft USAAcima, uma cavidade da medula onde podem ser vistas células-tronco hematopoiéticas. Foto: Xvivo/Barcroft USAAcima, um vírus que infecta e se reproduz dentro de bactérias. Foto: Xvivo/Barcroft USAAcima, o fator de transformação de crescimento Beta, um polipeptídeo encontrado no leite. Foto: Xvivo/Barcroft USA

O estúdio de animação, XVIVO, de Connecticut, nos Estados Unidos, transformou os mecanismos do corpo humano em uma animação 3D cujo objetivo é ajudar estudantes e cientistas a encontrar novas formas de compreender o corpo humano.

O projeto inclui representações da medula óssea e do ouvido interno, entre outros.

"Cientistas geralmente têm histórias complexas para contar e nós os ajudamos a simplificar (isso) com a animação e as imagens", afirmou Michael Astrachan, presidente e fundador da XVIVO.

A animação usa reproduções de imagens de microscópios eletrônicos e ilustrações médicas e fotos para recriar fotos de partes do corpo no nível molecular.

Leia mais:
Químico se aproxima do toque de Midas
Telescópio encontra moléculas de oxigênio no espaço
Cientistas criam 'molécula olímpica'

Apesar de o projeto ter usado dados reais, o equipamento usado para produzir as imagens microscópicas não registra cores, então os ilustradores acrescentaram suas próprias tonalidades e matizes.

"Existem vários objetivos para nossas animações médicas", afirmou Astrachan.

"Várias de nossas mídias científicas são usadas para educar médicos sobre novos alvos moleculares e terapias e parte de nossa arte médica é criada apenas para inspirar as pessoas a aprender mais sobre as maravilhas da biologia."

Leia tudo sobre: moléculasquímicafotosanimação

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas