Explosões solares revelam imagens impressionantes

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Entre os dias 12 e 14 de maio, o sol registrou quatro intensas erupções de radiação, que representam a atividade mais intensa do tipo na estrela; veja galeria

BBC

Entre os dias 12 e 14 de maio, o sol registrou quatro intensas erupções de radiação. Essas explosões representam a atividade mais intensa do tipo na estrela desde o início deste ano.

Mais explosões do tipo são esperadas para este período em que o sol atinge um momento de intensa atividade dentro de seus ciclos, que duram 11 anos. Estima-se que o pico do ciclo atual ocorra ainda neste ano.

Assista: Vídeo da Nasa mostra erupção solar

As erupções solares deste tipo também são conhecidas como ejeções de massa coronal (CME’s, na sigla em inglês). Elas podem liberar bilhões de partículas solares no espaço em forma de gás e outros materiais.

Quando as partículas de uma CME atingem a astmosfera, podem criar fenômenos de raios intensos de luz, conhecidos como auroras. Fortes CMEs podem afetar equipamentos eletrônicos em satélites e transformadores. 

Leia também:
Cientistas avaliam consequências das tempestades solares
Cientistas criam métodos de detecção de atividade solar

Erupções e CMEs se originam em torno de regiões ativas conhecidas como manchas solares, que consistem em áreas do sol que ficam temporariamente escurecidas devido a uma atividade magnética. As erupções recentes foram lançadas a partir de uma mancha solar conhecida como AR1748.

As espaçonaves da Nasa que integram o sistema SDO levam câmeras de alta performance que podem produzir filmes com uma resolução similar a um vídeo HD.  Fenômenos conhecidos como "loops magnéticos" também podem produzir espetáculos de luzes. Eles se formam por partículas carregadas que giram em torno de campos magnéticos. Esses campos emanam de áreas ativas, tais como as manchas solares.

Veja as imagens:

Esta imagem do Observatório de Dinâmicas Solares da Nasa (SDO) mostra a primeira erupção de radiação, no último domingo. Foto: BBCErupção no momento em que o astro libera material da mesma região ainda no início de maio. Foto: BBCEsta ejeção de massa coronal ocorreu no início do ano. Foto: BBCEsta ejeção de massa coronal deixou o sol no dia 31 de agosto e chegou à Terra em 3 de setembro de 2012. Foto: BBCErupções e ejeções de massa coronal se originam em torno de regiões ativas conhecidas como manchas solares. Foto: BBCEsta imagem mostra uma proeminência gasosa no dia 31 de agosto de 2012. Foto: BBCPara criar esta colorida imagem, o SDO tirou pares de imagens de alta resolução com cerca de oito horas de intervalo no dia 4 de dezembro de 2011. Foto: BBC


Leia tudo sobre: explosões solareserupções solaressolterranasa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas