Telescópio espacial 'caçador de planetas' está danificado, diz Nasa

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Equipamento que controla orientação do Kepler parou de funcionar, mas técnicos da agência espacial americana ainda não desistiram da missão

Nasa
Ilustração conceitual do Kepler no espaço: caça a planetas pode estar no fim

O telescópio espacial Kepler da Nasa, que vasculha o universo atrás de planetas fora do Sistema Solar, está sofrendo problemas técnicos, e a agência espacial americana não sabe dizer se ele voltará a funcionar.

Nesta quarta-feira (15) a Nasa convocou uma coletiva de imprensa para anunciar que o Kepler perdeu a segunda das quatro rodas que controlam sua orientação no espaço, e com isso, o telescópio entrou em modo de segurança. Para funcionar com a precisão necessária, o Kepler precisa de três rodas.

Veja alguns dos exoplanetas descobertos até agora

Se os engenheiros não conseguirem consertar o problema, a falha significa que o telescópio não poderá continuar procurando pelos chamados exoplanetas. Mas a Nasa ainda tem esperanças que o Kepler volte a funcionar.

"Eu não diria que a Kepler já acabou," disse o chefe de Ciências da Nasa John Grunsfeld.

Entenda: Estudos dizem que existem 17 bilhões de 'Terras' na Via Láctea

O Kepler foi lançado em 2009, com o objetivo de buscar planetas parecidos com a Terra. Até agora, já confirmou a existência de 132 planetas e encontrou mais de 2.700 candidatos a planeta. O custo total da missão é de 600 milhões de dólares até o momento.

Charles Sobeck, um dos gerentes da missão, disse que há um arquivo de dados enviados pelo telescópio que ainda precisa ser analisado, com material para dois anos de trabalho, ainda que se confirme que o Kepler não possa mais funcionar. O Kepler concentrou seu trabalho em um trecho da Via Láctea contendo mais de 150 mil estrelas, registrando leves diminuições no brilho estelar - um sinal de que há um planeta passando na frente de uma estrela.

Galeria: imagens do espaço

A falta de uma das rodas faz com que o telescópio não possa apontar com precisão onde os técnicos desejam, fazendo com que os dados sejam inexatos.

Nas próximos semanas, os técnicos vão tentar consertar a roda danificada ou procurar outras soluções para solucionar o defeito. Eles também vão planejar outros usos para o telescópio caso ele não possa mais rastrear planetas.

(Com informações da AP)

Leia tudo sobre: exoplanetasespaçokeplernasaplaneta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas