Plataforma brasileira pretende melhorar gestão de laboratórios científicos

Por Maria Fernanda Ziegler - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Grupo de cientistas criou ferramenta que tenta de maneira simples acabar com a desorganização de pesquisadores e inventores

Divulgação
Tela do Labsynapse: grupo de cientistas criou ferramenta para organizar laboratórios

O problema de organização nos laboratórios científicos brasileiros é muitas vezes tão crônico que um grupo de pesquisadores desenvolveu uma plataforma digital para organizar processos como agenda de compra de material, inventário, contato com fornecedores e networking com empresas. De acordo com pesquisa realizada pelo grupo de cientistas que desenvolveu a plataforma Labsynapse, 60% dos pesquisadores brasileiros já compraram reagentes que já havia no laboratório porque não sabiam que já tinham o material.

“Muitas vezes se trata de dinheiro público, mas é exatamente o que acontece. Geralmente a desorganização dos laboratórios é absurda, e olha que não é só aqui no Brasil não. O pesquisador sabe de ciência, mas geralmente sabe muito pouco de gestão” disse ao iG Gil Sant’Anna, um dos criadores da plataforma online para organizar o inventário laboratorial.

De acordo com Sant’Anna embora haja exceções, os métodos de organização dos cientistas tendem ao estapafúrdio. “Não existe um padrão. Eles até fazem planilhas de Excel, mas estão quase sempre desatualizadas. Tem também a técnica de anotar em papeizinhos ou no quadro negro”.

Leia mais: Veterinários serão responsáveis por animais de laboratório

Para solucionar o problema das anotações em papéis espalhados pelo laboratório ou das planilhas preenchidas de forma incompleta, o Labsynapse desenvolveu um sistema de QR-Code, uma espécie de código de barras fixado nos equipamentos, que pode ser lido pelo celular. O código informa a data de validade dos materiais usados no equipamento e procedimento de uso.

Como quase todas as invenções, a necessidade foi a mãe da nova plataforma. Sant’Anna, que já trabalhou em laboratório de pesquisa em células-troncos da Faculdade de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) notou a necessidade de algum aplicativo que solucionasse o problema da gestão de laboratório quando ganhou um edital de um milhão de reais. “Passei seis meses entre o edital e o início da pesquisa só comprando equipamento. É um processo geralmente complicado”, disse.

Depois, trabalhou como gerente do Laboratório de Microcanais e Microfluidos da Coppe-UFRJ e percebeu a mesma necessidade de organizar o inventário. “Eu não entendo nada de programação, mas vi que existia uma necessidade de criar algo que acabasse com este estigma bagunceiro de pesquisadores e inventores”, disse.

A plataforma foi testada em 56 laboratórios da Coppe e da faculdade de Biologia. Nestes testes, além do QR-Code, foi descoberta a necessidade de uma área para uma espécie de agenda de telefones de fornecedores. “Colocamos só mais uma abinha na plataforma e já ajudou muito o pesquisador. São processos simples de gestão, mas que ajudam muito”, disse.

Empresa-laboratório
Sant’Anna afirma que outro objetivo da ferramenta é facilitar o compartilhamento de equipamentos laboratoriais. “É possível se conectar com outros laboratórios e empresas. Quem trabalha com ciência vai falar sobre este problema”, disse.

A plataforma é gratuita e a ideia é que a receita venha através de anúncios de empresas interessadas. Sant’Anna afirma que com a plataforma, a troca de informações pode ser ampliada e empresas podem vir a sabe o que os laboratórios precisam. “A área científica envolve muito dinheiro, mas é tudo muito rústico”, disse.

O protótipo do Labsynapse foi lançado e testado no ano passado. Agora a plataforma digital está  em sistema de crowdfunding, buscando o finaciamento de parceiros para o projeto se manter financeiramente.

Leia tudo sobre: laboratóriosorganizaçãociência

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas