LHC descobre assimetria em partícula subatômica

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Comportamento incomum pode ajudar pesquisadores do Grande Colisor de Hádrons a compreender melhor a antimatéria

AP

Anna Pantelia/CERN
Vista do subterrâneo do acelerador de partículas LHC

Os físicos do Grande Colisor de Hádrons (LHC), o maior acelerador de partículas do mundo, encontraram em um experimento a razão para a aparente falta de antimatéria no Universo.

Um grupo de cientistas, ao analisar dados do LHC, disse ter descoberto uma partícula subatômica que se degrada assimetricamente em matéria e antimátéria.

O laboratório europeu, que fica perto de Genebra, afirmou nesta quarta-feira que a partícula, chamada "B0s" é a quarta que demonstra preferir matéria a antimatéria.

Leia também:
Acelerador busca partículas que podem mudar compreensão do universo
Confirmado: partícula descoberta no Cern em julho é o Bóson de Higgs
Bóson de Higgs é o maior feito científico de 2012, dizem leitores do iG

Em teoria, o Big Bang produziu no início do Universo quantidades iguais de ambas, mas os cientistas nunca conseguiram entender porque atualmente a matéria é mais predominante.

A descoberta da primeira assimetria matéria-antimatéria rendeu a dois cientistas do Laboratório Brookhaven de Nova York um Prêmio Nobel, em 1980.

O porta-voz do grupo Pierluigi Campana afirmou que o achado era previsto no modelo padrão da Física, mas que algumas discrepâncias interessantes devem ser ainda estudadas mais a fundo.

Leia tudo sobre: lhcfísicamatériaantimatéria

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas