Cientistas buscam em dinossauros as origens da postura das aves

Por Maria Fernanda Ziegler - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Pesquisadores britânicos concluíram que postura agachada das aves foi provocada pela evolução e, embora difícil de sustentar, é necessária para manter o equilíbrio

Getty Images
Agachamento: pesquisadores estudam origens da postura esquisita das aves. Na imagem, garça pesca camarão em lagoa

A postura esquisita das aves, digna de um praticante de ioga, um tanto agachada e com as pernas em “ziguezague”, agora tem uma explicação científica. Pesquisadores britânicos analisaram modelos em 3D de esqueleto de dinossauros, répteis e aves e concluíram que o agachamento das aves, necessário para a estabilização do corpo, foi o preço pago pela capacidade de voar.

Ao comparar modelos computadorizados, a equipe de pesquisadores da Universidade de Londres descobriu que o centro de gravidade dos pássaros variou ao longo da evolução por causa do alongamento das patas dianteiras, fazendo com que dobrar as patas fosse necessário para manter o equilíbrio. Outro fator que influenciou a postura acocorada foi o fato de a cauda, uma espécie de contrapeso, ter sido reduzida ao longo dos anos.

A estranheza da postura das aves sempre intrigou o cientista britânico John Hutchinson, do Royal Veterinary College da Universidade de Londres e autor do estudo publicado no periódico científico Nature. “As aves são muito estranhas, têm um rabo pequeno, a perna em ziguezague, a forma corporal é bizarra em comparação com outros animais vivos e, portanto me intrigou o que fez com que elas ficassem assim”, disse Hutchinson em um vídeo.

Leia mais:
Dinossauros se mexiam nos ovos como as aves modernas
Estudos esclarecem declínio dos dinossauros e ascensão dos mamíferos
Estudo diz que penas em dinossauros serviam para acasalamento
Descoberto na Transilvânia novo tipo de réptil voador extinto

O estudo mostrou que os primeiros archosauria - grupo de animais terrestres que incluiu os crocodilianos, aves e dinossauros -, que habitaram a Terra há 245 milhões de anos, eram parecidos com crocodilos modernos, tinham quatro patas e cauda longa. No entanto, ao longo da evolução das linhagens dos dinossauros, há 235 milhões de anos, eles se tornaram bípedes, um traço herdado por seus descendentes, as aves.

Não é fácil
Humanos são adaptados para andarem de forma ereta com pernas estendidas e costas, pescoço e cabeça na vertical. Já com aves e os dinossauros é diferente. O Hutchinson explica que o dorso dos dinossauros ficava inclinado, praticamente na horizontal. Suas patas eram bastante simples, “provavelmente não tão estendidas como a dos humanos”.

“Pense que você está segurando algo bem pesado na sua frente e está com os braços estendidos. É provável você penda para frente, já que o seu centro de massa é para frente. Então você dobra as pernas para trazer o seu peso para trás sobre seus pés”, disse ao iG.

Leia também: Pesquisadores descobrem por que zebras têm listras

Os dinossauros tinham uma “ajudinha extra” para o equilíbrio em relação às aves: o corpo era contrabalançado pela longa cauda característica das espécies que habitaram a Terra há milhões de anos. Porém, Hutchinson salienta que a pesada cauda dificultava a manobra e a possibilidade de alocar mais de massa para os membros anteriores. “Se um dinossauro de 100 quilos tivesse a cauda reduzida de 30 para 15 kg, ele teria seus braços 15 quilos mais forte”, calcula.

Na verdade, a posição agachada não é fácil para ninguém, nem mesmo para as aves. “Quem disse que é fácil para elas? É preciso esforço muscular, mas é necessário, ou então ela estaria instável e poderia cair. Pássaros e alguns dinossauros fizeram e fazem isso até hoje por causa de suas dimensões corporais”, disse.

Leia tudo sobre: evoluçãoanimaisaves

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas