Rússia anuncia 1º lançamento espacial tripulado no seu território

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Wladimir Putin declarou que país vai construir até 2018 uma nova plataforma de lançamento de voos tripulados, na fronteira da Rússia com China

Reuters

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou nesta sexta-feira (12) aos tripulantes da Estação Espacial Internacional que a Rússia vai inaugurar em 2018 uma plataforma de lançamento para voos tripulados a ser usada para a exploração da Lua e de lugares mais profundos do espaço.

Falando por videoconferência do Cosmódromo de Vostochny, que está sendo construído na região de Amur, no extremo leste da Rússia, Putin disse esperar que o local seja usado também pelos Estados Unidos e a Europa, uma declaração que valoriza a cooperação internacional, no dia do 52º aniversário da pioneira ascensão de Yuri Gagárin ao espaço, que desencadeou a corrida espacial da Guerra Fria. A data é celebrada na Rússia como o Dia da Exploração Espacial.

"Quero cumprimentar a tripulação neste feriado", disse Putin. "Estes não são apenas cumprimentos, são cumprimentos da construção do nosso futuro."

A Rússia espera que a plataforma, perto da fronteira com a China, rivalize com seu atual local de lançamento, o Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, cujo arrendamento a Moscou é motivo de polêmica desde a dissolução da União Soviética, em 1991.

Desde que a Nasa aposentou seus ônibus espaciais, no ano passado, foguetes russos lançados de Baikonur são a única forma de levar tripulantes à Estação Espacial Internacional, que paira a 400 quilômetros de altura sobre a Terra.

A Nasa paga pelo serviço, mas os custos de manutenção e aluguel de Baikonur correm por conta da Rússia.

Putin, que busca restaurar a credibilidade do programa espacial russo após algumas falhas constrangedoras em lançamentos de foguetes, disse que o novo cosmódromo estará pronto para lançar voos não-tripulados em 2015, e os tripulados em 2018.

"Está claro que a Rússia do século 21 deve preservar seu status como importante potência espacial", disse o presidente, oferecendo o local para o uso de outros países. "O espaço é uma esfera de atividade que nos permite esquecer todas as difíceis relações internacionais ... sem pensar nos problemas, e sim no futuro."

Putin informou que o mercado dos lançamentos espaciais pode saltar dos atuais 300-400 bilhões de dólares para 1,5 trilhão até 2030. Ele disse também que a abertura do novo local não implicará a desativação de Baikonur, cujo contrato de cessão à Rússia vai até 2050, ao custo anual de 115 milhões de dólares. Putin disse que a base cazaque está "fisicamente antiquada".

Leia tudo sobre: espaçorússia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas