Cientistas afirmam ter encontrado sinais de um continente que teria existido entre 2 bilhões e 85 milhões de anos atrás

BBC

Cientistas afirmam que com o tempo, a terra se fragmentou e desapareceu sob as ondas do mundo moderno que se formou no lugar
BBC
Cientistas afirmam que com o tempo, a terra se fragmentou e desapareceu sob as ondas do mundo moderno que se formou no lugar

Cientistas acreditam ter encontrado sinais de que fragmentos de um continente antigo estão soterrados abaixo do solo do Oceano Índico.

Os pesquisadores dizem que o fragmento é de um continente que teria existido de entre 2 bilhões e 85 milhões de anos atrás.

A faixa foi batizada pelos cientistas de "Mauritia". Com o tempo, a terra se fragmentou e desapareceu sob as ondas do mundo moderno que se formou no lugar.

O estudo foi publicado na revista científica Nature Geoscience.

Teorias
Há até 750 milhões de anos, toda a massa terrestre do Planeta estava concentrada em um continente gigante, chamado de Rodínia pelos cientistas.

Países que hoje estão a milhares de quilômetros de distância - como Índia e Madagascar - ficavam lado a lado.

Lei também:
Novo supercontinente deve acabar com mar do Caribe e Oceano Ártico
Antártida já foi paraíso tropical, diz cientista
Fenda pode separar a África em duas, dizem pesquisadores
Cientistas descobrem na Austrália ilhas do antigo continente de Gondwana

A nova pesquisa sugere que havia um "microcontinente" entre Índia e Madagascar. Os cientistas pesquisaram grãos de areia de Maurício, um país localizado no Oceano Índico. Os grãos se originaram em uma erupção vulcânica que ocorreu há nove milhões de ano. Mas apesar disso, eles contém minerais que são de um período ainda mais antigo. 

"Nós encontramos zircão, que foi extraído das areias da praia, e isso é algo que se encontra tipicamente na crosta continental. Elas são de uma era muito antiga", disse o professor Trond Torsvik, da Universidade de Oslo.

O zircão é datado de entre 1970 e 600 milhões de anos atrás, e a equipe concluiu que os restos da terra antiga foram levados para a superfície da ilha durante uma erupção vulcânica.

O professor disse acreditar que pedaços do continente poderiam estar 10 quilômetros abaixo de Maurício e sob o solo do Oceano Índico.

A existência do continente teria atravessado diferentes éons da Terra - desde o Pré-Cambriano, quando não havia vida na terra, ao período em que surgiram os dinossauros.

Mas há 85 milhões de anos, quando a Índia começou a se separar de Madagascar em direção à sua posição atual, o microcontinente teria se desfragmentado - e eventualmente desaparecido sob as ondas.

No entanto, uma parte pequena do microcontinente pode ter sobrevivido, especulam os pesquisadores.

"No momento, as (ilhas) Seicheles são um pedaço de granito, ou crosta continental, que está praticamente assentada no meio do Oceano Índico", diz Torsvik.

"Mas houve uma época em que ficavam logo ao norte de Madagascar. E o que estamos dizendo é que talvez isso fosse muito maior, e que esses fragmentos continentais estão espalhados pelo oceano."

Essas teorias ainda precisam ser confirmadas com mais pesquisa. "Nós precisamos de dados sísmicos que possam formar uma imagem desta estrutura... isso seria a prova definitiva. Ou é preciso perfurar profundamente, mas isso custaria muito dinheiro", diz Torsvik.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.