Estudos esclarecem declínio dos dinossauros e ascensão dos mamíferos

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Pesquisa determina que queda de asteroide foi crucial para a extinção dos dinossauros, enquanto estudo imagina como seria o ancestral do maior e mais diverso grupo de animais da Terra

Carl Buell
Ilustração mostra o provável ancestral de todos os mamíferos, inclusive o homem: do tamanho de um rato, dentes afiados e dieta de insetos

Novas pesquisas mostram como os dinossauros perdem o posto de criaturas dominantes da Terra para outro grupo, os mamíferos, entre os quais se encontra o homem.

Dois estudos publicados nesta quinta-feira (7) no periódico Science explicam melhor as consequências da queda de um asteroide no Golfo do México há 66 milhões de anos. Ele teria causado, ou pelo menos acelerado, a extinção dos dinossauros e abriu caminho para a era dos mamíferos, que começou com um animalzinho pequeno, do tamanho de um esquilo.

"É justo dizer que sem a extinção dos dinossauros, não estaríamos aqui hoje, disse Paul Renne, líder de uma equipe internacional que reviu a data da queda do asteroide em Chicxulub, na península de Yucatán, no México.

Veja a galeria: os novos dinossauros 

Seu grupo determinou que a data da colisão do corpo celeste e o início da extinção dos dinossauros foram tão próximos que se ela não foi a principal responsável pela extinção global, pelo menos acelerou o processo de declínio dos animais.

Os cientistas sempre acharam que 200.000 anos separavam a colisão da extinção dos dinossauros, mas uma análise profunda de fósseis e solo em Hell Creek, no nordeste do estado de Montana, nos Estados Unidos, colocou os dois eventos com um espaço de 32.000 anos entre eles, o que reforça a hipótese de causa e efeito.

"O impacto foi claramente o suspiro final que levou a Terra a ponto de inflexão”, disse Paul Renne, diretor do centro de geocronologia da Universidade de Berkeley e autor do estudo. “Nós demonstramos que estes eventos ocorreram muito próximos e, portanto o impacto gerou a maior parte das extinções, mas provavelmente ele não foi o único responsável por elas”.

Renne explica que a revisão das datas soluciona a confusão sobre se o impacto teria ocorrido antes ou depois do desaparecimento quase que da noite para o dia mostrado em registros fósseis de dinossauros terrestres e a maioria das criaturas dos oceanos.

Leia também:
Grupo de mamíferos prosperou antes da extinção dos dinossauros
Dinossauros herbívoros estavam em decadência quando asteroide caiu na Terra
Estudo diz que reprodução por ovos causou extinção de dinossauros

Os dinossauros são um grupo distinto de espécies, algumas das quais evoluíram e se tornaram as aves. Os cientistas não sabem quanto tempo levou para que as espécies que não se tornaram aves, como o Tyrannosaurus Rex, para desaparecerem do planeta.

O segundo estudo detalha a arvore genealógica do tipo predominante de mamífero, aqueles que têm períodos longos de gestação. Os pesquisadores propõem que o primeiro mamífero foi uma criaturinha pouco maior que um camundongo, de dentes bastante afiados. E ele apareceu há cerca de 65 milhões de anos -- logo depois da queda do asteroide.

Quando um asteroide ou cometa atinge a Terra e mata os dinossauros, acontecem ao mesmo tempo uma tragédia e uma oportunidade, disse Maureen O'Leary, da Universidade Stony Brook, e líder do estudo sobre os mamíferos: "De um certo modo, somos produto daquela oportunidade".

A equipe de Maureen examinou 4541 características de mamíferos contemporâneos e extintos e rastreou seu DNA e características físicas até um hipotético ancestral comum.

"Não é um chute: estabelecemos isso como resultado desta análise," explicou Maureen. "O animal tinha um rabo comprido e peludo, barriga branca e olhos castanhos". Era menor que um rato, mas maior que um camundongo e provavelmente se alimentava de insetos.

O primeiro mamífero evoluiu ao longo dos anos em várias espécies diferentes, que incluem morcegos, baleias, elefantes e primatas como o ser humano.

"Muito aconteceu em 200.000 anos," afirmou o coautor Michael Novacek, curador de paleontologia no Museu Americano de História Natural, em Nova York.

Ao contrário dos dinossauros, que não eram conhecidos por sua facilidade de adaptação, mamíferos são mais inteligentes e se adaptam bem em vários ambientes, disse Maureen. Com a mudança climática promovida pela queda do asteroide, essa capacidade se mostrou valiosa.

(Com informações da AP)

Leia tudo sobre: mamíferosdinossaurosextinçãoevoluçãoasteroide

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas