Sonda espacial descobriu depósitos de água congelada e amostras de material orgânico no polo norte do planeta

Imagem composta mostra os depósitos de gelo confirmados no polo norte de Mercúrio
Nasa
Imagem composta mostra os depósitos de gelo confirmados no polo norte de Mercúrio

Cientistas da agência espacial americana anunciaram nesta quinta-feira (29) que a sonda Messenger, que orbita Mercúrio, confirmou que há gelo e compostos orgânicos no polo norte do planeta mais próximo do Sol.

Telescópios na Terra há 20 anos reúnem indícios de gelo em Mercúrio, mas a descoberta de substâncias orgânicas foi uma surpresa, segundo pesquisadores da sonda Messenger, da Nasa, a primeira a orbitar o planeta.

A água congelada e os compostos orgânicos, que são semelhantes ao piche ou carvão, estariam em uma área de sombra permanente, com profundidade entre 46 centímetros e 19,8 metros. Eles supostamente foram levados há milhões de anos por cometas e asteróides que caíram no planeta.

"Não é algo que esperávamos ver, mas aí é claro que você percebe que meio que faz sentido, porque vemos isso em outros lugares", como os corpos gelados do Sistema Solar exterior, e nos núcleos dos cometas, disse David Paige, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

Os pesquisadores da Nasa dizem que é provável que o polo sul de Mercúrio também tenha gelo, mas não há dados que confirmem a hipótese, porque a órbita da Messenger é muito mais próxima do polo norte que do sul. A sonda emite feixes de laser, conta as partículas, mensura os raios-gama e recolhe outros dados remotamente, enquanto orbita o planeta.


Leia também:
Sonda da Nasa fornece visão inesperada de Mercúrio
Sonda espacial Messenger apresenta dados inéditos sobre Mercúrio

As descobertas de gelo e compostos orgânicos, com base em peças minuciosamente montadas ao longo de mais de um ano, se baseiam em modelos de computador, experiências em laboratório e na dedução, mas não na análise direta.

"A explicação que parece encaixar todos os dados é que se trata de material orgânico", disse o cientista-chefe da Messenger, Sean Solomon, da Universidade Columbia, em Nova York.

Paige acrescentou que "não é só uma hipótese louca - ninguém conseguiu nada além que parece se encaixar melhor nas observações".

A ideia de haver química orgânica em Mercúrio era tão remota que a Messenger foi relativamente poupada dos procedimentos de esterilização adotados para minimizar a chance de que bactérias terrestres contaminem qualquer material local com capacidade para gerar vida.

A vida na Terra se baseia em compostos orgânicos, mas nem todos os compostos orgânicos - à base de carbono e oxigênio - estão necessariamente associados à vida. Os cientistas não acreditam que Mercúrio seja ou já tenha sido adequado à vida, mas a descoberta de compostos orgânicos em um planeta do Sistema Solar interior pode revelar como a vida começou na Terra, e como ela pode evoluir em outros planetas fora do Sistema Solar.

Medições de diversos radares já haviam sugerido a existência de gelo no planeta, mas só a sonda espacial conseguiu confirmar sua presença. A Messenger é a primeira nave a orbitar Mercúrio , e foi lançada em 2004.

Galeria: imagens do espaço 

(Com informações da AP e Reuters)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.